Mais de 10 mil pessoas morrem todos os anos em Portugal com AVC

Diana Rosa

Jornalista

Não há uma forma bonita de escrever isto. O acidente vascular cerebral é a principal causa de morte em Portugal. Por hora estima-se que cerca de 3 portugueses sejam atingidos por esta doença súbita. Vejamos então quais as causas e sintomas desta doença.

Todos os anos há aproximadamente 15 milhões de pessoas vítimas de AVC, sendo que cerca de metade não sobrevive. De acordo com a Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral, Portugal é o país da Europa com a taxa de morbilidade mais elevada relacionada com esta doença, especialmente em adultos até aos 65 anos. De acordo com o INE, em 2020 morreram em Portugal com a doença 10 975 pessoas.

O AVC acontece quando as células cerebrais sobrem lesões, morrem ou deixam de funcionar de forma correta, pela falta de oxigénio e nutrientes, resultante de um bloqueio ao fluxo sanguíneo (no caso do AVC isquémico) ou de inundação de sangue (no caso de AVC hemorrágico), sendo que o isquémico representa a maior parte dos casos. A velocidade da morte celular vai depender de o fluxo sanguíneo ser reduzido, ou interrompido. E é por isso que é tão importante agir com rapidez. Todos os minutos contam, e é imperativo que, seja em casos mais ligeiros ou mais agudos, a ida ao hospital seja imediata.

Quais as causas?

As causas podem não ser controladas, como é o caso da genética, idade ou género (mais frequente em homens), mas relativamente a outros fatores relacionados com os hábitos de vida, estão as seguintes:

– Tabaco

– Sedentarismo

– Obesidade

– Diabetes

– Colesterol

– Hipertensão arterial

– Consumo de álcool

– Displasia fibromuscular

Sintomas

Entre os mais comuns estão:

– Desvio da cara

– Dormência ou falta de força num dos lados do corpo

– Dificuldade em falar, confusão e dificuldade de raciocínio

– Dificuldade na mobilidade

O que fazer se suspeita de AVC?

Ligar imediatamente o 112. Explique o que se está a passar e todos os sintomas que existem. Chegado ao serviço de urgência terá atendimento prioritário.

Como prevenir?

Tenha um prato colorido

A alimentação é um fator decisivo para a saúde, e o sistema cardiovascular não é exceção. É, aliás, a parte mais importante desta equação. As dietas ricas em gordura e sal contribuem para variados problemas, como colesterol e hipertensão, que são inimigos do coração.

Privilegie o consumo de legumes, frutas e fibras. Dê primazia a produtos frescos e ricos em nutrientes, evitando as carnes vermelhas, enchidos, alimentos processados, óleos e frituras e doces

Evite maus hábitos

Segundo o alerta da Fundação Portuguesa de Cardiologia, estima-se que fumar aumenta entre 2 a 4 vezes a probabilidade de desenvolver um AVC, e que na mulher pode ser potenciado pela toma de contraceptivos como a pílula. Se esta for combinada com tabaco, ainda pior.

O tabaco, por sua vez, só por si contribui com um aumento de risco de morte por AVC entre os 12% a 15%. Já o álcool, é permitido se estivermos a falar de um copo de vinho à refeição, mas se abusar saiba que a sua ingestão excessiva provoca alterações no ritmo cardíaco e fenómenos trombóticos. Bom senso e moderação é imprescindível.

Mexa-se

Faça exercício físico, combata o sedentarismo e a obesidade com, pelo menos, uma caminhada de 30 minutos por dia. Se pensa que estar em pé o dia todo a trabalhar é o suficiente, não, não é a mesma coisa do que fazer exercício ininterruptamente e de forma mais intensiva. A atividade física ajuda a promover uma boa circulação sanguínea, elimina toxinas do corpo, emagrece, e previne quase todas as doenças.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.