A cenoura faz bem aos olhos, já sabemos. E aos diabéticos?

Diana Rosa

Jornalista

“Isso, filho. Come a cenoura, que faz bem aos olhos. Faz os olhos bonitos”. Vá, confesse lá: quantas vezes ouviu pais ou avós a sussurrarem-lhe isso ao ouvido? E que fazíamos nós? Comíamos a cenoura, claro. Mas houve uma leitora que nos perguntou: “sou diabética e sempre ouvi dizer que não posso comer cenouras. É verdade?” Foi o que fomos perceber.

A cenoura. Esse vegetal tão tradicional dos nossos pratos desde os antepassados mais longínquos, e nunca ninguém teve medo de a comer. Mas com o avançar dos anos, da ciência,  e com o surgimento de centenas de teorias diferentes, é comum ouvirmos dizer que a cenoura faz mal aos diabéticos, uma vez que é doce. Mas esta afirmação terá algum fundamento?

Para começar, desengane-se quem acha que a cenoura tem muitos hidratos de carbono. Na verdade, 100g de cenoura possui 4,5g de hidratos, enquanto o pão que come ao pequeno-almoço (por exemplo) tem 10 vezes mais. Ouviu bem!

Se for cozida, o seu índice glicémico sobe ligeiramente, tal como acontece a todos os vegetais que passam por um processo de cozedura. Na verdade, quanto mais tempo de confeção tiver um legume ou vegetal, mais se eleva os seus açúcares.

Os hábitos alimentares saudáveis para um diabético são extremamente importantes para regular o nível de açúcar no sangue. O objetivo é prevenir picos ou défices de glicose, uma vez que o desequilíbrio deste fator pode criar complicações como fraqueza, tonturas, doenças cardíacas, renais, ou cegueira. Por isso mesmo, os alimentos que devem constar na dieta devem ser de baixo índice glicémico e com hidratos de absorção lenta.

Mas então, os diabéticos podem comer cenoura, ou não?

Os estudos não reúnem consenso absoluto. Mas a maioria diz que sim. De acordo com a American Diabetes Association, os diabéticos podem comer cenouras livremente. E porquê?

Em primeiro lugar, porque contêm carotenoides, uma espécie de pigmento encontrado também em laranjas, limões, sendo que este componente é um antioxidante que ajuda a proteger a retina de lesões. Conforme explica um estudo da ADA, uma alimentação que contenha um nível considerável de beta-caroteno pode prevenir a diabetes tipo 2.

Além disso, as cenouras contêm vitamina A, que contribui para o bom funcionamento do pâncreas e na produção de células beta, as células produtoras de insulina. Esta vitamina também previne o aparecimento de diabetes tipo 1.

Em relação às fibras, importantíssimas na dieta dos diabéticos, estão muito presentes na neste alimento. As fibras ajudam a regular os níveis de açúcar no sangue e também a controlar a doença.

Já outros dos nutrientes bem presentes nas cenouras são hidratos de carbono, mas dos bons, pois a absorção do seu açúcar é lenta.

Resumindo, os diabéticos podem comer vegetais pobres em amido, como é o caso da cenoura.

Para evitar que o seu índice glicémico aumente, dê preferência a comê-la crua ou mal cozida.

Segundo as nutricionistas Mariana Afra Pedro, Paula Almeida e Vera Ruivo Diasm no livro “Diabetes – O que posso comer?”, publicado pela editora Lidel Saúde e Bem-Estar, “a cenoura é habitualmente ingerida em junção com outros alimentos, pelo que o índice glicémico isolado não tem muita utilidade. Deste modo, não faz sentido eliminar a cenoura da alimentação das pessoas com diabetes”.

Mas não ficamos por aqui e deixamos umas dicas importantes para a sua dieta, se é diabético

Limite as carnes vermelhas e processadas – Não é de mais lembrar que a carne é um alimento a comer com ponderação. Neste caso, mais ainda. Para encontrar proteínas mais saudáveis dê primazia às carnes brancas, leguminosas, ovos, nozes e peixe.

Fuja do açúcar sempre que possível – É uma das regras basilares. Não se esqueça de ter sempre atenção aos rótulos quando faz compras no supermercado. Muitos dos açúcares estão “escondidos” em alimentos que nunca iríamos desconfiar.

Opte por snacks saudáveis – como nozes, legumes, sementes, iogurte sem açúcar, frutos vermelhos ou gelatina.

Reduza o consumo de álcool – Pode tomar um copo de vinho à refeição, mas não convém que repita.

Conheça as gorduras saudáveis e inclua-as na sua dieta – Como abacate, salmão, sardinha, nozes ou sementes

Cuidado com o sal – Para além de ser inimigo da diabetes, também provoca problemas de circulação, hipertensão e distúrbios cardíacos.

Escolha hidratos de carbono naturais e não processados – como a fruta, leguminosas, vegetais, grãos integrais, ou lacticínios.

Pratique exercício – Faltava esta dica preciosa para tudo o que diga respeito a saúde e bem-estar. A atividade física é essencial no controlo da diabetes.

Nota: Os conselhos aqui mencionados não substituem uma ida ao médico ou ao nutricionista. Se é diabético, procure ter sempre o acompanhamento de um profissional de saúde para que os seus valores estejam controlados e para lhe indicar um plano alimentar mais adequado ao seu caso. A APDP – Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal pode ajudar.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.