A importância do exercício físico em casos de osteoporose

Vanessa Santos

Fisiologista do Exercício Clinico e Doutorada em Atividade Física e Saúde Investigadora na Faculdade de Motricidade Humana

Osteoporose é caracterizada segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma doença esquelética sistémica caracterizada pela deterioração da microarquitectura do tecido ósseo, com um consequente aumento na fragilidade do osso e suscetibilidade à fratura, levando a um declínio da capacidade funcional pela perda da massa muscular e força muscular, ocorrendo défice de equilíbrio, dificuldades ao se locomover e aumentando o risco de quedas.

A doença é uma das alterações mais comuns o avançar da idade. Por volta dos 20 anos existe um ganho de massa óssea, dos 20 aos 30 anos ocorre um equilíbrio entre a formação e a reabsorção óssea e a partir dos 30 anos existe uma perda óssea que vai se acentuando com o envelhecimento. Também dietas com insuficiente ingestão de cálcio e vitamina D, imobilizações prolongadas, toma excessiva de algumas medicações (em especial corticoides) podem levar à osteoporose.

A osteoporose constitui a principal causa de fratura na mulher pós-menopáusica e no idoso, em particular no colo do fémur, vértebras e punho.

Durante muito tempo o exercício físico era contra-indicado para quem sofria de osteoporose. Hoje em dia, já existem inúmeras evidências cientificas que comprovam o inverso. O exercício físico irá ajudar na manutenção da mineralização óssea, bem como irá também promover aumentos de massa muscular d melhora a capacidade de equilíbrio, de forma a prevenir e evitar quedas.

Como prevenção para o aparecimento de osteoporose, o exercício físico deve privilegiar exercícios com impacto, como corridas, saltos, musculação, de forma a estimular o metabolismo ósseo e haver um aumento na densidade mineral óssea.

Mas, em forma de tratamento e manutenção, são de privilegiar-se exercícios de força muscular, de equilíbrio e propriocepção de forma a reduzir o risco de fratura e de quedas. Em casos de osteoporose grave, exercícios com impacto devem ser evitados.

Mas cada caso deve ser avaliado, de forma a que o treino possa ser adequado e ajustado a cada condição, para maximizar os ganhos e privilegiar a prevenção.

Cuide de si, esteja a atenta(o) ao seu corpo!

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.