A moda dos superalimentos. Mas, afinal, resulta mesmo?

Diana Rosa

Jornalista

De certeza que já ouviu falar nesta palavra. Superalimento. Na verdade, há muitos, e é difícil enumerar todos. Basicamente, superalimentos são aqueles que reúnem uma maior quantidade de benefícios para a nossa saúde, e que têm uma riqueza nutricional superior aos restantes. É por isso importante que os consigamos incluir na nossa alimentação o mais possível, mas sem exageros, claro. O que importa é que saibamos de que forma eles contribuem para o nosso bem-estar.

Normalmente são alimentos muito ricos em fibras, vitaminas, antioxidantes, minerais e ácidos gordos. Podemos estar a falar de sementes, frutos, vegetais ou ervas, que dão uma força extra ao nosso organismo, favorecem o metabolismo, promovem a nossa energia, e ajudam-nos a curar maleitas.

Frutos vermelhos como o mirtilo, bagas de goji, spirulina e sementes de chia, são apenas alguns dos que mais ouvimos falar hoje em dia, mas que, para alguns de nós, ainda soam estranhos.

Este grupo burguês dos alimentos, tem um forte impacto no fortalecimento do sistema imunitário, digestivo, respiratório, cardiovascular e circulatório.

Vamos fazer um bouquet de superalimentos, desde os vegetais às sementes, para que se familiarize com este termo e comece a utilizar estes amigos do organismo.

Frutos

Açaí – É rico em ferro e cálcio, é uma boa fonte de energia e tem propriedades antioxidantes das melhores que há em qualquer alimento. Ajuda a fortalecer a imunidade, atua na prevenção de doenças cardiovasculares, promove a saúde dos ossos, assim como previne o envelhecimento e o aparecimento de cancro.

Mirtilos – Este fruto é uma fonte rica em fibra, vitamina A e C, e um poderoso antioxidante. Ajuda a combater infeções urinárias, regula o colesterol, ajuda a perder peso, previne a gordura no fígado, protege contra a gripe, e ajuda a diminuir os níveis de açúcar no sangue.

Nozes – O fruto seco que possui as chamadas gorduras boas. O ómega-3 tem um efeito anti-inflamatório e ajuda a regular o colesterol. Não é para comer um saco de uma vez, mas comidas com moderação, as nozes melhoram a saúde do cabelo, previnem de doenças cardiovasculares assim como o aparecimento de diabetes, têm uma ação anti-inflamatória e ajudam a combater o stress.

Ervas

Spirulina – Ainda é um nome estranho, mas este superalimento já se encontra em qualquer supermercado ou nas lojas de produtos naturais. A spirulina é uma alga de cor esverdeada que há milhares de anos faz parte do cardápio dos povos mexicanos e africanos. É uma excelente fonte proteica, e é um dos maiores aliados a quem quer acelerar o metabolismo e perder os quilinhos a mais. Consumida normalmente em forma de pó que se mistura na bebida, esta alga melhora o funcionamento digestivo, promove a perda de peso, é uma poderosa fonte de energia, é antioxidante, ajuda na preservação da massa muscular, favorece o sistema reprodutor e o funcionamento do cérebro. O seu sabor não é muito agradável, vamos admitir. Mas o truque é adicionar uma colher de chá de spirulina ao seu café ou sumo, e vai facilitar o seu consumo.

Erva de trigo – a sua aparência é muito semelhante à spirulina, mas os benefícios diferem um pouco. A erva de trigo é rica em clorofila, flavonoides, e vitaminas C e E, o que faz deste alimento um ótimo antioxidante, favorece o sistema imunitário, ajuda nos processos de desintoxicação do organismo, reduz a inflamação, e aumenta a energia.

Matcha – Originário do Japão, o matcha é um tipo de chá verde mas as suas folhas são mais jovens. Esta folhagem é convertida em pó, e tem elevada quantidade de cafeína. Este superalimento é muito associado a melhorias do funcionamento do cérebro e à perda de peso, mas entre os seus benefícios também constam a prevenção da saúde do fígado, diminuição de colesterol e diminuição do stress.

Nota: Uma vez que todas estas ervas têm um poder estimulante, aconselha-se o seu consumo no período da manhã, sendo ótimas opções para incluir no seu pequeno-almoço.

Vegetais

Brócolos – São ricos em selénio, potássio, ferro, além do ácido fólico e muito completo em termos de vitaminas. Os bróculos reduzem o risco de doenças cardiovasculares, fortalecem os ossos, melhoram a condição da pele, desintoxicam o organismo, ajudam a prevenir a diabetes, entre tantos outros benefícios associados a este alimento que está tão consolidado na nossa alimentação, e ainda bem!

Alho – Felizmente, em Portugal temos o hábito de colocar o alho em quase tudo o que cozinhamos (ou quase tudo). Diz-se que é um antibiótico natural, pois ajuda a combater bactérias, vírus e fungos, ajuda a eliminar toxinas e previne infeções. Além disso, o alho tem propriedades antissépticas e expectorantes que previnem constipações, gripes e problemas do foro respiratório, assim como melhora a circulação sanguínea.

Agrião – Para além dos minerais como ferro, magnésio e potássio, o agrião é uma boa fonte de vitamina C, betacaroteno e antioxidantes. É um alimento pouco valorizado hoje em dia, mas é fundamental na perda ou manutenção de peso pois é pobre em calorias, mas tem muitas fibras solúveis e insolúveis, que promovem a saciedade e energia. É um forte aliado para combater a anemia, fortalece o cabelo e tem uma ação anti-cancerígena.

Sementes

Chia – Esta pequena semente contém uma variedade de nutrientes como proteína, hidratos de carbono, fibras dietéticas, minerais e vitaminas, assim como um elevado teor antioxidante. Normalmente misturada em batidos e sumos, a chia é um poderoso saciante, que acaba por ajudar a não ter tanta fome e consequentemente a emagrecer. É um aliado no combate a doenças cardíacas, previne o envelhecimento precoce, previne a prisão de ventre, fortalece a imunidade, e protege os ossos e o cérebro. Tudo isto num pequeno “grão de areia”.

Linhaça – Conhecida pelo seu elevado teor de fibra, é aconselhado por nutricionistas a quem quer melhorar o funcionamento digestivo e emagrecer. Além de regular o trânsito intestinal, reduz os níveis de colesterol, ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue, é aliada do coração e combate os efeitos da menopausa, como os afrontamentos.

Sementes de abóbora – Ricas em zinco, ferro, vitamina B, magnésio e proteína, as velhas sementes de abóbora são um superalimento muito completo no que diz respeito a nutrientes. Este alimento é rico em antioxidantes e tem elevado teor de aminoácido triptofano, que ajuda a combater o stress e ansiedade. Além disso, estas sementes promovem o aumento da massa muscular, protegem as células do efeito dos radicais livres, previnem alguns tipos de cancro como cólon, próstata e mama, combatem a anemia, e diminuem a inflamação, graças à presença de ómega-3.

Podemos concluir que estes alimentos são aliados importantes à sua saúde. É fundamental que os inclua nas suas refeições, mas convém sempre lembrar que uma alimentação variada é a base do segredo. A fruta, legumes e antioxidantes, são elementos a incluir no nosso prato todos os dias, mesmo que não estejam considerados na lista de superalimentos. Ainda assim, agora que conhece um pouco mais sobre estes aliados ao organismo, aproveite os seus benefícios, e sinta-se bem! 

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.