“Andas a comer muito queijo!” Há algum fundo de verdade nisto… ou é apenas mito?

João Rodrigues

Nutricionista inscrito na Ordem dos Nutricionistas com a cédula 3657N

O queijo é um dos grandes pecados alimentares para muitas pessoas. Seja no pão, na comida ou mesmo na forma simples, é difícil resistir a este alimento tão saboroso e versátil. Mas será que o queijo pode, realmente, prejudicar a memória?

O consumo de queijo está claramente enraizado na nossa cultura, e a prova disso é que em Portugal se produzem excelentes queijos em quase todos os pontos do País. Quando se pensa no consumo de queijo, acredito que quase toda a gente já tenha ouvido a expressão “Estás muito esquecido, andas a comer muito queijo…”. 

Esta expressão tem vários séculos de existência e tem-se mantido bem presente na linguagem popular até aos dias de hoje. A sua origem poderá estar relacionada com algum tipo de associação entre os laticínios e a perda de algumas propriedades intelectuais. Ou seja, não deixa de ser interessante constatar que há vários séculos já havia pessoas que “maltratavam” o leite e os derivados (possivelmente não tanto como agora, mas isso seria outra conversa…). Já agora, a título de curiosidade, nessa época além dos laticínios, também as carnes salgadas, o vinho, as frutas verdes e o tabaco eram considerados inimigos da memória…

Voltando ao queijo, do ponto de vista nutricional, trata-se de uma excelente fonte de cálcio e fósforo (entre muitos outros nutrimentos). Estes minerais não só são importantes para o funcionamento do nosso corpo, de uma maneira geral, como desempenham um papel fundamental no funcionamento do cérebro (em particular o cálcio)! Além disso, o queijo é uma excelente fonte de proteínas, sendo que vários blocos de construção das mesmas (os aminoácidos) são utilizados para a produção de neurotransmissores que são as substâncias bioquímicas que permitem às células do cérebro comunicarem umas com as outras.

Portanto, o queijo não prejudica o funcionamento do cérebro, e muito menos a memória em particular. Aliás, o consumo de queijo, tal como de outros alimentos, acaba por ser muito importante paro o nosso sistema nervoso central, pois fornece vários nutrimentos indispensáveis para o seu correto funcionamento. Por isso, se gosta de queijo, pode comer sem receio de ver a sua memória ficar afetada. No entanto, convém não esquecer que a maior parte dos queijos são alimentos muito calóricos e ricos em gorduras, por isso não se “esqueça” desse detalhe e tenha muita atenção ao tamanho da porção que consome…

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.