Atenção! O seu corpo está a dar-lhe sinais de que alguma coisa não está bem

Carolina Jesus

Produtora de conteúdos

Tem formigueiros constantes nas mãos e nos pés? E a queda de cabelo, tem-se tornado mais agressiva? Ou tem outros sintomas pouco frequentes no seu corpo? Então talvez esteja com carência de vitaminas e minerais.

Não restam dúvidas que os nutrientes são essenciais para o bom funcionamento do nosso organismo. Sem eles, surgem diversas consequências que dificultam o nosso estilo de vida.

Mas quais são, afinal, alguns dos sintomas causados pela carência de cada uma das vitaminas e minerais e de que forma é que os pode combater?

Fadiga e cansaço

Há muitos fatores que poderão provocar o cansaço que anda a sentir. Mas se já excluiu um possível stress motivado pelo trabalho ou, por exemplo, dores de costas, então é possível que a causa seja a falta de ferro.

O ferro é essencial para o nosso corpo, pois é ele o responsável pelo transporte de oxigénio através dos glóbulos vermelhos para todo o corpo.

A falta deste nutriente está muito ligada à anemia, sendo mais frequente nos idosos, mulheres grávidas, vegetarianos, vegans e pessoas com patologias gastrointestinais.

Além da fadiga e cansaço, a anemia traz vários sintomas, tais como:

  • Dores de cabeça;
  • Dificuldade de concentração;
  • Tensão baixa;
  • Palidez da pele;
  • Queda de cabelo;
  • Inchaço;
  • Falta de apetite e alterações no paladar;
  • Infeções constantes, devido à perda de imunidade.

Para combater estes sintomas, é necessário não falhar a dose de ferro recomendada por dia. Por exemplo, homens e mulheres com idades entre os 19 e os 50 devem tomar 10 mg e 15 mg de ferro por dia, respetivamente.

Mas estas doses variam de acordo com a faixa etária, com o sexo (as mulheres precisam de uma maior quantidade, devido à perda de ferro na menstruação) e com a condição da pessoa, pelo que é aconselhado, por exemplo, a que os vegetarianos e vegans as multipliquem por 1,8.

Formigueiros nas mãos e nos pés

Se tem sentido esta sensação há algum tempo, a somar à dificuldade em mover-se, então é provável que esteja com falta de vitamina B12.

A vitamina B12 é a responsável por moldar o ADN, por produzir glóbulos vermelhos, e por ajudar no funcionamento do sistema nervoso.

Em semelhança ao ferro, a falta deste nutriente está relacionada com a carência de células que levam o oxigénio ao resto do corpo. Tal traduz-se em diversos sintomas, além dos acima referidos, tais como:

  • Palidez da pele;
  • Cansaço e fadiga;
  • Irritabilidade;
  • Falta de apetite;
  • Aceleração do ritmo cardíaco;
  • Dificuldade em respirar;
  • Doenças orais (úlceras, inchaço, ardor na boca);
  • Perda de memória;
  • Alterações digestivas.

Neste caso, há que ter em atenção as crianças, os idosos, os vegetarianos e vegans, os diabéticos, mulheres a amamentar e outras condições, que têm maior risco de carência de vitamina B12.

A dose recomendada para os adultos é de 2,4 mg por dia de vitamina B12 e os alimentos com maior presença deste nutriente são: carnes vermelhas, carne de aves, ovos, laticínios, peixe e marisco.

Dificuldades de cicatrização

Provavelmente, estará a faltar-lhe a presença de um grande antioxidante e um forte combatente dos radicais livres: a vitamina C.

Este nutriente é o responsável pela produção de colagénio, que consiste numa proteína essencial para os tendões, ligamentos, cartilagem, vasos sanguíneos, pele, gengivas e dentes.

Uma das doenças mais ligadas à falta de vitamina C é o escorbuto, que é provocado quando há uma quantidade insuficiente deste nutriente durante muito tempo.

Dito isto, a falta de vitamina C resulta em vários sintomas, além das dificuldades de cicatrização, tais como:

  • Cansaço e fadiga;
  • Tonturas;
  • Palidez da pele;
  • Sangramentos (gengivais e nariz, maioritariamente);
  • Manchas roxas no corpo;
  • Fraqueza muscular;
  • Queda dos dentes;
  • Dores ósseas;
  • Dificuldades cognitivas;

Para repor os seus níveis de vitamina C, é aconselhado a que coma os seguintes alimentos: citrinos (laranjas, toranjas, limões, etc.), kiwis, morangos, meloa, papaia, tomate, framboesas, mirtilos, brócolos e vegetais de folha verde como os espinafres, pimentos verde e vermelho.

Agravamento da visão noturna

Talvez não seja algo de que se aperceba regularmente, mas agora começa a reparar que anda a ver pior quando está de noite. Isso não tem a ver apenas com a sua saúde ocular, mas sim com a falta de um nutriente essencial à mesma: a vitamina A.

Esta vitamina é essencial para a nossa visão e para o fortalecimento do sistema imunitário, por produzir glóbulos brancos. Além disso, também tem um grande papel na manutenção da pele e dentes, por agir como antioxidante.

Ao faltar este nutriente, surgem muitos outros sintomas, além do agravamento da visão noturna, tais como:

  • Gripes e constipações frequentes;
  • Acne;
  • Pele, cabelo e boca secos;
  • Dor de cabeça;
  • Unhas quebradiças;
  • Perda de apetite;
  • Diminuição da fertilidade.

As doses recomendadas de vitamina A são 1000 µg (microgramas), no caso dos homens com mais de 13 anos, e 800 µg, nas mulheres maiores de 10 anos.

Alguns dos alimentos ricos em vitamina A são: abóbora, batata doce, vegetais de folha verde, meloa, alperce, manga, laticínios, ovos, salmão e fígado.

Dor nos ossos e nos músculos

Sim, isso poderá ser só o cansaço e até se pode dever a estar demasiado tempo na mesma posição. Mas também poderá ser por causa da falta de um nutriente muito importante: a vitamina D.

A vitamina D é a principal responsável pela manutenção da massa óssea, devido à absorção do cálcio. Além disso, também é responsável por fortalecer o sistema imunológico e por diminuir os riscos de doenças infecciosas.

Os principais sintomas característicos da falta de vitamina D são:

  • Espasmos musculares;
  • Cansaço e fadiga;
  • Alterações de humor;
  • Aumento de infeções;
  • Dificuldades de cicatrização;
  • Osteoporose;
  • Fraqueza óssea, mais suscetível a fraturas;
  • Queda de cabelo.

A principal fonte de vitamina D é o sol, sendo aconselhado a que as pessoas com a pele mais clara passem 20 minutos por dia à exposição solar e as pessoas com tom de pele mais escuro o façam durante 1 hora, devido ao pigmento de melanina dificultar a produção desta vitamina.

No entanto, e apesar da retenção de vitamina D ser de apenas de 20%, os alimentos também são uma grande fonte e alguns deles são: arenque; atum; camarão, carnes brancas, carnes vermelhas, cogumelos, fígados de boi e de galinha, iogurte, leite fortificado, manteiga, óleo de fígado de bacalhau, ostras, ovo, queijo, salmão e sardinha.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.