Calçado inadequado está na origem da maioria do calos. Saiba como preveni-los

Izabelli Pincelli

Produtora de Conteúdos

Já sentiu aquele incómodo nos pés horas após uma caminhada? Ou as mãos avermelhadas após o ginásio? Os calos e as calosidades afetam todos nós diariamente causando desconfortos e problemas estéticos. Mas calma! Há uma maneira de evitá-los.

Os calos são pequenas ou grandes saliências que se desenvolvem na pele como resultado de fricção ou pressão excessivas. Apesar de surgiram maioritariamente nos pés, tendo em conta que 90% dos calos são causados pelo uso de calçados inadequados, também podem aparecer nas mãos. Quando é este o caso, os calos são causados por atividades como escrever, pintar, exercícios físicos, manuseio de ferramentas pesadas e desportos como o voleibol.

Mas não importa o sítio, uma coisa é certa: quando surgem, causam imenso desconforto e dores inevitáveis.

Calos e calosidades, qual a diferença?

Enquanto os calos abrangem áreas maiores da epiderme (a camada exterior da pele) e são, normalmente, assintomáticos, as calosidades são mais profundas e dolorosas.

O surgimento da calosidade dá-se a partir das pressões exercidas nos pés ou nas mãos que acabam por “transferir” a fricção extra para outa região. Com isso, o nosso corpo cria um espessamento (uma nova camada de pele) para proteger a área afetada, deixando a mesma mais dura.

Já os calos estão divididos em moles e duros. Os calos moles normalmente surgem entre os dedos quando a pele não está devidamente seca ou a partir da transpiração. Os duros desenvolvem-se quando ocorre uma fricção constante no osso e acabam por pressionar os nervos da derme. Estes podem surgir na ponta, na parte superior e/ou inferior dos dedos. Quanto maior a profundidade, maior o dano nos tecidos.

Tanto os calos como as calosidades são uma forma de proteção do nosso corpo, quando confrontado com pressões exercidas na pele.

Causas

As pressões e atritos podem ser causados por diversos factores e o desenvolvimento de calos e calosidades pode afetar qualquer um de nós. Entre as principais causas está o uso inadequado de calçado.

Os sapatos mais curtos e apertados exercem constante pressão nos pés auxiliando no surgimento de calos e calosidades. Ainda, quando usados regularmente, podem também causar deformações nos pés. Por outro lado, os sapatos maiores implicam uma fricção constante, forçando os nossos pés a se adequarem ao seu tamanho e consequentemente, causando as saliências.

Também podem surgir em atletas, pessoas que ficam longos períodos em pé, pessoas com padrões anormais de caminhada e em idosos devido a mudança óssea e epidérmica ao passar dos anos.

Tratamento e prevenção

A hidratação, esfoliação e massagem da pele, nomeadamente em áreas mais propícias a desenvolverem calos e calosidades, é fundamental. Além disso, usar calçados adequados e confortáveis e garantir que os pés estão secos antes de se calçar também são pontos essenciais.

Não é adequado fazer a retirada dessas saliências sem o auxílio de um profissional, principalmente se o paciente sofre de diabetes. A diabetes impede a rápida cicatrização da pele, podendo desenvolver feridas e posteriormente, infetar a área atingida.

Para aliviar a dor e desconforto, o paciente pode mergulhar os pés em água morna e utilizar pensos responsáveis por reduzir a pressão e a fricção e o desenvolvimento de feridas. Na sabedoria popular, há ainda uma opção que resulta: mergulhar os pés com calos num alguidar de água morna com sal grosso.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.