Candidíase: Infeção incómoda é sinal de sistema imunitário fragilizado

Diana Rosa

Jornalista

Hoje vamos falar de uma doença que afeta mais o universo feminino, e que os pacientes costumam associar aos órgãos genitais. Mas a surpresa é que também se pode manifestar nos olhos ou na boca. No fundo, é uma patologia que se desenvolve em regiões húmidas do corpo humano e que é muito potenciada pela Diabetes, por exemplo. Mas atenção, os homens não ficam de fora desta infeção.

Chama-se Candidíase e é proveniente do fungo Candida Albicans. É natural que o nosso organismo seja habitado por vários fungos e bactérias. Chegam mesmo a ser necessários para o funcionamento correto do nosso corpo. O problema é que por vezes, por causa de alguns desequilíbrios, estes agentes desenvolvem-se em quantidades desproporcionais ao que seria normal, provocando infeções. No caso da candidíase, é valorizada quando há fatores de risco associados, tais como:

  • Ter o sistema imunitário fragilizado

Pessoas que saíram recentemente de tratamentos mais agressivos, com problemas oncológicos ou HIV, são mais propensas a desenvolver quadros infecciosos por terem as defesas do organismo reduzidas.

  • Utilização de antibióticos

É muito comum, e há muitos relatos de mulheres que iniciam a toma de um antibiótico por outro motivo qualquer, e passado dois ou três dias aparece aquela comichão e corrimento, e apercebem-se que estão a desenvolver uma candidíase. Os antibióticos aniquilam as más bactérias, mas também as boas, o que significa que comprometem e fragilizam o organismo.

  • Diabetes e outras doenças endócrinas

Principalmente uma diabetes que não é vigiada. Como já é abordagem habitual, esta doença propicia o desenvolvimento de infeções, e a candidíase não é exceção.

  • Gravidez ou pílulas

Quando a mulher está exposta a altas quantidades hormonais, nomeadamente a elevada presença de estrogénio, fica com o corpo mais suscetível a infeções fúngicas.

Como foi dito anteriormente, a candidíase é mais frequente desenvolver-se a nível dos genitais. Mas uma vez que também pode surgir noutros locais, conheça os sintomas adaptados a cada um deles, e fique atenta.

Candidíase oral

– Aparecimento de placas esbranquiçadas na boca, que pode incluir língua e garganta

– Desconforto ou dor na deglutição

– Feridas nos cantos da boca

– Vermelhidão e inchaço na boca e na garganta

Candidíase ocular

– Visão turva

– Sensibilidade à luz

– Dor nos olhos

– Existência de pontos que se movimentam na visão

Candidíase genital

– Comichão e irritação na zona da vulva ou na vagina, nas mulheres, e no pénis, nos homens.

– Corrimento branco e espesso

– Inchaço e vermelhidão

– Dificuldade a urinar e desconforto durante a relação sexual

É uma doença contagiosa?

A candidíase genital não é considerada uma doença contagiosa, porque normalmente não é transmitida por via sexual. Ainda assim, se o outro parceiro estiver com o organismo debilitado, com uma infeção ativa ou com fraca imunidade, pode haver contágio. Ou seja, o homem e a mulher podem acabar por ter candidíase em simultâneo. O melhor mesmo é evitar ter relações sexuais enquanto a candidíase não estiver tratada, até porque o contacto sexual pode ser doloroso e piorar o quadro clínico.

Como é feito o tratamento?

Normalmente é uma terapêutica simples, e que pode apresentar melhorias em poucos dias. Os fármacos utilizados costumam ser pomadas antifúngicas, que deve aplicar de acordo com as indicações médicas, e em caso de infeção grave, pode ser receitado um antifúngico oral. É aconselhável que a lavagem seja realizada com gel íntimo indicado para uso ginecológico e com pH neutro.

Como prevenir?

– Evitar tampões e pensos higiénicos ou diários que mantenha durante muitas horas. Faça trocas com frequência.

– Evitar roupa muito apertada e sem elasticidade.

– Faça a higiene íntima com produtos apropriados entre uma a três vezes ao dia.

– Use preferencialmente roupa interior de algodão

– Não mantenha vestida roupa transpirada ou molhada, como peças de desporto ou fatos de banho. Troque por peças secas.

– Use preservativo

– Vigie o controlo glicemico e tenha em atenção o que come, sobretudo hidratos de carbono.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.