Conhece os efeitos da hipertensão? E os sintomas a que deve estar atento?

Diana Rosa

Jornalista

Os números não enganam e assustam. Em Portugal, cerca de três milhões de pessoas são hipertensas, mas a maioria não tem a tensão arterial controlada. Os efeitos podem ser devastadores: um acidente vascular cerebral ou o enfarte agudo do miocárdio. Saiba ler os sinais do seu corpo e perceba em que situações deve agir imediatamente.

Hipertensão arterial é uma expressão muito comum no nosso dia a dia, e muitas vezes desvalorizada. Mas não devia, pois em Portugal quase um terço dos portugueses sofre deste problema, e desse grupo 30% não sabe que o tem. São números preocupantes que levam a que a hipertensão seja a principal causa de patologia cardiovascular e de risco de morte prematura. E o seu principal inimigo tem apenas 3 letras: sal. Conseguimos a sua atenção? Pois bem, já lá vamos.

É verdade que ao fazer esforço físico, em momentos de stress ou de algum descontrolo emocional, a tensão tem tendência a subir. Isso é normal, mas é momentâneo. O pior é quando esses momentos passam a ser uma constante. A tensão arterial é essencialmente a pressão exercida pelo sangue nas paredes arteriais ao deslocar-se. E é por isso que elas devem estar livres e desimpedidas.

A tensão tem dois fatores na sua medição, sendo eles a máxima (ou sistólica) e a mínima (diastólica). A sistólica é referente ao momento em que o coração bombeia o sangue, e a diastólica diz respeito a quando o coração está em repouso. É a partir o resultado destes dois valores que se vai definir se a sua tensão está bem, ou nem por isso.

Segundo os valores de referência europeus, os resultados obtidos têm a seguinte interpretação:

Máxima < 120 e mínima <80 = ótima

Máxima 120-129 e/ou mínima 80-84 = normal

Máxima 130-139 e/ou mínima 85-89 = normal alta

Máxima 140-159 e/ou mínima 90-99 = hipertensão grau 1

Máxima 160-179 e/ou mínima 100-109 = hipertensão grau 2

Máxima ≥ 180 e/ou mínima ≥ 110= hipertensão grau 3

Causas mais comuns

  • Consumo excessivo de sal
  • Obesidade
  • Tabaco
  • Stress
  • Consumo exagerado de café
  • Sedentarismo
  • Hábitos de sono desregulados

No entanto, a hipertensão também pode surgir em situações como:

  • Gravidez
  • Doença tiroideia
  • Apneia do sono
  • Doença renal
  • Síndrome de Cushing
  • Coartação da aorta
  • Contracetivos orais e fármacos dietéticos

Quais as consequências possíveis da hipertensão?

– Ataque cardíaco

– Acidente Vascular Cerebral

– Insuficiência renal

– Insuficiência cardíaca

– Perda gradual de visão

– Doença arterial periférica

– Disfunção eréctil

E os sintomas que deve estar atento?

– Cefaleias

– Tonturas

– Mal-estar generalizado

– Falta de ar

– Dor no peito

– Visão turva

– Aumento do batimento cardíaco

– Zumbidos

Na generalidade, a hipertensão é silenciosa durante os primeiros anos e não provoca sintomas. A maneira mais importante de ir despistando esta patologia é precisamente medir a tensão com alguma frequência, até pelo facto de os seus sintomas, quando aparecem, serem comuns aos de outras doenças. Ao longo dos anos em que a doença vai progredindo, tendem a aparecer lesões nos órgãos como rins, cérebro e coração. E é por isso que é importante observar a lista de causas, fazer uma autoavaliação aos seus comportamentos no dia a dia e alterar os hábitos que podem evitar desenvolver este problema.

Como se diagnostica?

Em primeira instância, exatamente pela medição. Em ambiente de consulta médica, a tensão deve ser medida 3 vezes com cerca de 1 a 2 minutos de diferença entre si. Paralelamente a esta forma mais simples, o paciente poderá fazer um MAPA – Medição Ambulatória da Pressão Arterial, que consiste num aparelho de verificação 24h.

Caso a hipertensão arterial seja confirmada, existem outros fatores a ter em conta para o auxílio do diagnóstico, como:

– análises ao sangue e urina

– historial familiar

– eletrocardiograma e ecocardiograma

– ecografia abdominal e carotídea

Como medir a tensão?

A tensão pode ser medida em casa, na farmácia, na sua consulta, ou através do MAPA, e aconselha-se a que o faça regularmente a partir dos 18 anos. Apenas deve garantir que não está sob uma situação de stress, e sentar-se repousando durante 5 minutos antes de iniciar a medição. Se possível, evite o consumo de café e de tabaco antes de medir.

Deve fazer 3 repetições com os já mencionados 2 minutos de intervalo, sendo que a tensão a considerar é a média dos dois últimos resultados. Comece por medir nos dois braços, e posteriormente use para controlo o braço em que o valor tiver um resultado mais elevado.

Como evitar?

A hipertensão está altamente relacionada com o nosso estilo de vida. E por isso, a boa notícia é que, em muitos casos, está nas nossas mãos evitar desenvolver esta doença.

  • Não coloque demasiado sal na comida
  • Não fume
  • Evite gorduras e doces
  • Faça exercício físico
  • Limite o consumo de álcool
  • Mantenha-se com um peso saudável

São os conselhos essenciais para prevenir o problema.

Tratamento

Habitualmente, a primeira fase de resolução desta patologia é através da alimentação e atividade física, fazendo uma dieta saudável e exercício com regularidade. Se esta estratégia não for o suficiente, terá de se recorrer a medicação. Há vários tipos de medicamentos disponíveis para tomar de forma isolada ou combinados. Caberá ao seu médico definir qual a melhor opção para o seu caso.

Hipertensão é só para os mais velhos?

Não. Embora a incidência tenda a aumentar com a idade, as crianças e adolescentes também podem desenvolver hipertensão. As causas são essencialmente as mesmas que as observadas no caso dos adultos, assim como a forma de evitar.

Deixamos o alerta para as quantidades de açúcar e sal que, ainda que inocentemente, são dadas às crianças. Cereais ao pequeno-almoço e pacotes de fritos, por exemplo, são alimentos que mesmo não se traduzindo sempre em excesso de peso, prejudicam a saúde dos mais pequenos.

Tenha atenção à sua saúde e não facilite.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.