Dez tipos de alimentos que contribuem para o cancro. E alguns parecem inofensivos

Diana Rosa

Jornalista

É a chamada doença da civilização. Quanto mais a civilização avança e progride social e cientificamente, mais se expõe. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, pelo menos um terço dos tipos mais comuns de cancro pode ser prevenido através da cessação do consumo de tabaco, redução do consumo de álcool, adoção de uma alimentação saudável e da prática regular de exercício físico. De facto, de acordo com a evidência científica, os cidadãos podem reduzir o risco de cancro se adotarem comportamentos saudáveis de alimentação e atividade física. Nunca é tarde para começar…

É certo que somos o que comemos, mas também há as questões genéticas, ambientais, e de hábitos de exercício que podem contribuir ou retardar o aparecimento de doenças como o cancro. E uma vez que estamos no mês em que se assinala um dos principais cancros que afeta as mulheres (embora também os homens), decidimos apurar quais serão os alimentos que contêm mais malefícios para a nossa saúde. E descobrimos que a Organização Mundial de Saúde fez saber exatamente quais são. E é por isso que os alimentos aqui mencionados aparecem em todas as listas existentes relacionadas com este assunto.

Na verdade, não podemos dizer que existem alimentos carcinogéneos, mas segundo a OMS pode afirmar-se que há alguns que podem aumentar as possibilidades de desenvolvimento da doença, se consumidos em grandes quantidades. Portanto, não vamos assumir que estes alimentos são completamente proibidos, mas devem ser consumidos com moderação. O mais impressionante é que estamos convencidos que a maior parte deles costumam estar disponíveis na sua despensa, no seu frigorífico, na sua mesa.

Vamos saber quais são.

  • Carnes vermelhas
  • Se dúvidas existissem de que este alimento pode ser prejudicial à saúde, começam a ser dissipadas. Mama, cólon e próstata, são os tipos de cancro mais apontados quando se fala do consumo excessivo deste tipo de carne. Dê primazia a carnes brancas, peixe, ou outras fontes de proteína, como ovos e leguminosas.

    • Carnes processadas

    Salsichas, fiambres, mortadela, enchidos, bacon, presunto, e todos os alimentos que sofrem processos de salga, cura, defumação ou fermentação para intensificar o seu sabor. O tipo de cancro mais associado às carnes processadas é o colorretal.

    • Álcool

    No grupo 1 dos contribuintes para o aparecimento da doença, a relação entre o álcool e o cancro é elevada, nomeadamente no que diz respeito ao estômago, fígado, intestino, boca e mama. Evite, principalmente bebidas brancas.

    • Pipocas de micro-ondas

    “Mas porquê?” – pergunta o nosso caro leitor. Começa por ser pelo facto deste milho vir embalado dentro de um saco químico, cuja substância ácida tem o nome estranho de perfluorooctanoic (PFOA), que também pode ser encontrada nas frigideiras revestidas a  teflon. Além disso, este tipo de pipocas tem vários conservantes nocivos à saúde. Esta combinação maléfica está relacionada com os cancros de fígado, pâncreas, rins, bexiga, testículos e estômago.

    • Torradas

    Quem diria, hein? No fundo, se pensarmos bem, não ficamos assim tão admirados. O pão para ser torrado é exposto a altas temperaturas, que basicamente iniciam um processo de queimadura, formando-se um composto chamado acrilamina, que contribui para o aparecimento de alguns tumores. Não é só o pão torrado que deve ser evitado, assim como biscoitos, bolachas, batatas fritas e todo o tipo de processos para oferecer crocância aos alimentos.

    • Farinha branca

    Esta farinha é um alimento refinado. E por isso mesmo, os grãos de trigo são destruídos para obter a cor e a textura que se apresenta nos pacotes. A verdade é que a farinha não é naturalmente branca, e para ficar assim passa por um processo químico com gás de cloro de forma a acelerar o resultado final. Ao consumir alimentos refinados como este, não só está a contribuir para a absorção rápida de açúcares no sangue que consequentemente desregulam os valores de insulina e aumentam a probabilidade de desenvolver patologias cancerígenas.

    Refrigerantes

    São bebidas com uma quantidade de açúcar tão elevada, aditivos e químicos, que não só aumenta o risco de cancro como de AVC. Todas as bebidas (e alimentos em geral) que contenham adição de açúcar devem ser consumidas com muita moderação. E desengane-se quem acha que refrigerantes se resumem a Coca-cola. Leiam os rótulos das garrafas e embalagens, e lá estará escrito “bebida refrigerante” mesmo que à primeira vista não pareça. No fundo são todas as bebidas que sejam fabricadas industrialmente e às quais sejam adicionados açúcares e conservantes. Alguns exemplos são os sumos com gás, mas também iced tea, néctares, água tónica, e por aí fora.

    • Açúcar refinado

    Conhecido por aumentar os níveis de glicemia, é altamente perigoso para os diabéticos e para quem tem tendência a engordar, mas infelizmente é prejudicial para quase tudo na nossa saúde. Incluindo o desenvolvimento de cancro. O açúcar é o tipo de alimento preferido das células cancerígenas. Fixem esta frase! Bolos, croissants, bolachas, biscoitos, sobremesas, cereais tipo aqueles que se dão às crianças em forma de estrelinhas ou de pepitas de chocolate, parem. Esses alimentos são vazios em termos nutritivos e não trazem nada de bom!

    • Condimentos e molhos artificiais

    Sejam eles ketchup, maionese, caldos de legumes ou de frango que se misturam no tacho para dar sabor à comida… É um grande não! Temos o privilégio de ter à nossa disponibilidade temperos naturais que dão um sabor maravilhoso aos cozinhados, como a pimenta, coentros, salsa, manjericão, cebolinho, alecrim, alho, cebola e todo o tipo de especiarias que tornam qualquer prato mais apetitoso! Aproveite essa vasta oferta que existe e deixe os condimentos artificiais na prateleira do supermercado.

    • Fritos

    Principalmente os de pacote, como aperitivos de toda a espécie, batatas fritas e afins. São a escolha mais habitual para quando se quer trincar alguma coisa ou para inícios de jantares em casa de amigos, mas está na altura de parar. Caros leitores, estes alimentos são nocivos e estão completamente fora de moda. Troquem estes maléficos por fruta desidratada, por exemplo, ou por uns palitos de cenoura mergulhados em húmus, que são igualmente crocantes e fazem as delícias de qualquer guloso por entradas.

    Além da alimentação, não podemos terminar este artigo sem deixar de mencionar fatores extra que contribuem para o desenvolvimento de várias doenças, nomeadamente do foro respiratório e, claro, cancerígenas. São eles o tabaco, a poluição, a exposição excessiva ao sol, o contacto com químicos (principalmente por inalação, no caso de algumas atividades profissionais) e a toma de medicamentos hormonais, como por exemplo, a pílula.

    Outras histórias que vai querer ler

    Leave a Reply

    O seu endereço de email não será publicado.