Disseram-me que posso ter pré-diabetes. O que quer isso dizer?

Nuno Azinheira

Diretor do Escolher Viver

Bem, em primeiro lugar, sejamos francos. Nisto da saúde, o diz que disse é tudo o que não precisamos. “Disseram-me” deixa as coisas no limbo, sem qualquer validade científica. Portanto, o que tem a fazer é fazer análises e consultar um médico de clínica geral ou um endocrinologista. Se for pré-diabetes, saiba que é reversível. Mas se não mudar o seu comportamento alimentar, o mais certo é que o prefixo “pré” desapareça…

Resumo da matéria dada: a diabetes é uma doença crónica que se caracteriza pelo aumento dos níveis de açúcar (glicose) no sangue e pela consequente incapacidade do organismo em transformar toda a glicose proveniente dos alimentos. À quantidade de glicose no sangue chama-se glicemia e quando esta aumenta diz-se que o doente está com hiperglicemia.

Temos duas espécies principais de Diabetes: a tipo 1 e a tipo 2 (ainda há a diabetes gestacional, mas é um estado momentâneo durante a gravidez). A Diabetes Tipo 1, também conhecida como Diabetes Insulino-Dependente é mais rara (a sua forma juvenil não chega a 10% do total) e atinge na maioria das vezes crianças ou jovens, podendo também aparecer em adultos e até em idosos. Na Diabetes do Tipo 1, as células ß do pâncreas deixam de produzir insulina, pois existe uma destruição maciça destas células produtoras de insulina.

A Diabetes Tipo 2 é, sem dúvida, o tipo mais comum de Diabetes. É causada por um desequilíbrio no metabolismo da insulina e tem como principais fatores de risco a obesidade, o sedentarismo e a predisposição genética.

Na Diabetes tipo 2 existe um défice de insulina e resistência à insulina. Significa isto que é necessária uma maior quantidade de insulina para a mesma quantidade de glicose no sangue. Embora tenha uma forte componente hereditária, este tipo de Diabetes pode ser prevenido controlando os fatores de risco modificáveis. E, sobretudo, modificando os seus hábitos alimentares e adotando um estilo de vida mais saudável, recorrendo à prática regular de exercício físico.

Um doente é considerado diabético quando os seus valores de glicemia são superiores a 120/130 mg por decilitro de sangue em jejum ou quando ultrapassam os 160 ou 170 mg/dl no período pós-prandial, ou seja, duas horas após as refeições.

pré-diabetes corresponde a uma alteração do metabolismo dos hidratos de carbono, na qual os níveis de glicose no sangue são superiores ao normal, contudo, não são suficientemente elevados para serem classificados como diabetes. Assim, a pré-diabetes, que corresponde a valores entre os 100 e os 125 mg/dl em jejum e os 130 e os 150 mg/dl depois das refeições, é um estado intermédio.

Desta forma, a pré-diabetes deve ser interpretada com um aviso, um sinal de alerta. Ou seja, se os seus valores de açúcar no sangue estão há alguns dias mais elevados do que é suposto (70/100 mg/dl em jejum e 70/140 mg/dl no período pós-prandial), pode estar em risco elevado de desenvolver diabetes e outras complicações médicas, nomeadamente cardíacas, se não mudar os seus cuidados alimentares.

Portanto, se tem histórico de diabetes tipo 2 na família, se come muitos doces ou hidratos, se começa a notar alguns sintomas relevantes (frequência nas vezes com que vai urinar durante a noite, urina escura e com um odor forte, visão turva de manhã, sede e sensação de boca seca, tipo palha), está na altura de tirar a coisa a limpo. Consulte o seu médico assistente ou marque uma consulta na Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.