Engravidar não é só “ir aos treinos”. Siga os nossos conselhos

Deana Coimbra

Aluna finalista de Jornalismo na ETIC

Ter um filho é, para além de gerar uma nova vida, é um projeto. Na maior parte dos casos, um projeto a dois, que deve ser vivido pelo casal em conjunto. Não basta começar a tentar (embora isso seja importante, naturalmente…). É preciso mudar hábitos de vida, torná-los ainda mais saudáveis, e viver a vida com uma outra tranquilidade. Afinal, tudo muda. E as prioridades também…

Quando o casal decide que está na hora de ter um filho é habitual que possa surgir algum nervosismo por parte de ambos. Em muitos casos, quando a espera começa a ser longa, instalam-se níveis mais elevados de stress, que podem contribuir para o adiar do sonho da maternidade. Por isso, é extremamente importante aprender a gerir estas ansiedades, começar a fortalecer o seu corpo e a sua mente e preparar-se para uma viagem cheia de altos e baixos quem, embora entusiasmante, não deixa de vir sem as suas dificuldades e obstáculos.

Deixamos aqui algumas dicas e recomendações para ajudar a fertilidade:

Limitar o consumo de álcool

Beber com moderação é um conselho válido para qualquer pessoa. Em excesso, o álcool afeta não só a fertilidade feminina, mas também a masculina. Beber qualquer tipo de quantidade de álcool quando se está a querer conceber pode diminuir a fertilidade do casal.

Às mulheres que pretendem engravidar, o álcool altera os níveis das hormonas responsáveis pela ovulação e interfere no ciclo menstrual. Mais ainda, quando consumido em excesso, interfere no ciclo menstrual e no transporte de espermatozoide para o óvulo.

Nos homens, o consumo de álcool interfere com as funções normais do sistema reprodutor. As células de Leydig, responsáveis pela produção de testosterona, são as mais afetadas pelo álcool. O seu consumo regular pode em cima de tudo afetar a qualidade de espermatozoides e diminuir consequentemente as hipóteses de uma gravide espontânea.

Deixar de fumar

O consumo de tabaco tem uma elevada prevalência a nível mundial e é considerado um dos maiores desafios de saúde publica. Como tal, é cada vez mais importante compreender o seu impacto no sistema reprodutor.

Existem diversas substâncias e componentes no cigarro, como a nicotina, o alcatrão e o monóxido de carbono, que afetam diretamente o aparelho reprodutor. Estas substâncias toxicas causam a oxidação nos óvulos, o que pode resultar na diminuição da sua qualidade e quantidade. O consumo de tabaco causa também a diminuição de mobilidade do embrião nas trompas de Falópio, impedindo-o de chegar ao útero.

De acordo com os dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), uma mulher que fume 20 cigarros por dia pode ter a sua fertilidade reduzida em 43%.

Reduzir a cafeína

Tal como o álcool e o tabaco, o consumo regular de cafeina pode também ter efeitos prejudiciais na mulher no processo de tentar engravidar. Porém, não é necessário eliminar a cafeina totalmente da sua vida. O consumo moderado, de até 200 miligramas por dia, é seguro e não causará problemas. O importante é evitar excessos. Mulheres que tomem mais do que três café por dia podem vir a encontrar problemas em conceber, isto porque o consumo em demasia pode levar à ausência de movimento dos músculos que levam o óvulo até ao útero. Por isso, se deseja engravidar, tente evitar o consumo de alimentos e bebidas ricas em cafeína, como o café, a coca-cola, o chá preto e alguns chocolates.

Mantenha-se hidratado

Um copo de água por dia nem sabe o bem que lhe fazia! E quando se fala em aumentar as chances da gravidez, não há melhor solução do que manter o corpo bem hidratado.

A água nutre todos as células do nosso corpo, incluindo os tecidos do útero. Se o seu objetivo foi aumentar a fertilidade, não deixe o seu corpo ficar com sede. Beba os recomendados dois litros de água por dia e evite as bebidas refrigerantes e açucaradas. Mais importante do que começar com estes estes hábitos saudáveis, é conseguir mantê-los, aí verá que fazem de facto toda a diferença. Quando cuidamos de nós, só temos a ganhar!

Escolha a dieta certa

Embora muitos escolham apenas abdicar de certos hábitos alimentares, o consumo do álcool e tabagismo, existe também a opção de escolher alimentos que aumentem a fertilidade. Embora o conceito de alimentos pró-férteis possa parecer desconhecido, a maneira como se nutre e alimenta faz toda a diferença. Quando o objetivo é aumentar a saúde reprodutiva, alimentos que ajudem a reduzir as hormonas do stress e que estimulem o fluxo sanguíneo para o útero são o bilhete para o sucesso. Escolher uma dieta que inclua um equilíbrio de proteínas, fibras e gorduras saudáveis pode fazer milagres. Deixamos consigo alguns alimentos chave para aumentar as hipóteses de uma gravidez saudável. 

  • Abacate

Os estudos dizem que é um dos alimentos principais para aumentar a fertilidade. Rica em vitamina E, esta propriedade é fundamental para melhorar o revestimento das paredes do útero. O abacate é também rico em potássio, vitamina K e folato, umas das vitaminas do complexo B essenciais para a o alargamento do útero e crescimento da placenta.

Se o escolher incluir no pequeno-almoço, pode optar por uma receita simples de abacate na tosta, acrescentando umas sementes de romã.

  • Batata-Doce

A batata-doce, para além de ficar deliciosa com quase todos os pratos e refeições, é rica em betacaroteno, um antioxidante fundamental para o fortalecimento do sistema imunitário e para impulsionar a produção da progesterona. Aconselhamos a que se aventure e tente substituir o pão por este legume, mas como?

Corte a batata doca em rodelas em meio centímetro, tempere com sal e azeite e deixe assar durante 20 minutos. No final enriqueça com manteiga de amendoim e marmelada de frutos vermelhos. Só falta depois servir!

  • Salmão

O salmão é um dos seus melhores amigos no combate à infertilidade. Graças à sua composição rica em omega-3 e ácidos gordos, conhecidos pela sua habilidade de estimular o sistema reprodutor feminino e masculino, o salmão é um peixe que não quererá deixar fora das suas refeições semanais.

Quanto à sua preparação, a simplicidade é sua amiga. Apenas basta levar ao forno, temperar com as suas especiarias favoritas e no fim, acrescentar umas rodelas de limão para uns benefícios extra.

Meditação e exercício

As saúdes mentais e psicológicas estão mais ligadas à saúde reprodutiva do que possa pensar. O stress de tentar conceber é um dos principais fatores para alterações hormonais que podem estar por detrás da sua infertilidade. Por isso, se o seu objetivo é engravidar, o stress deve estar fora do menu. Existem várias estratégias que envolvem melhorar os seus hábitos e que podem diminuir substancialmente o stress, e consequentemente, aumentar a sua fertilidade. Deixamos consigo algumas recomendações simples que pode adotar no seu dia a dia.

  • Meditação

O benefício da meditação para a fertilidade está diretamente ligado ao controlo do stress. A meditação, assim como outras técnicas de relaxamento, produz um aumento de dopamina, norepinefrina e serotonina, três neurotransmissores ligados à sensação de prazer, felicidade e confiança.

  • Yoga

Embora o Yoga não garanta a fertilidade, é um método que se torna cada vez mais comum entre as mulheres que pretendem engravidar, pela forma como o corpo reage aos diferentes estímulos que estes exercícios proporcionam. Aventure-se no mundo do Yoga e inclua estes exercícios simples na sua rotina diária.

  • Exercícios de respiração

Quando a cabeça fica sobrecarregada, gerir o stress do dia a dia pode tornar-se uma tarefa quase impossível. Respirar é um ato automático, mas um simples exercício de inspirar e expirar de forma lenta e profunda, verá que tem um poder extraordinário de oxigenar o cérebro e acalmar o coração. Pequenos exercícios como este ajudam a gerir o dia a dia e a enfrentar situações de stress de forma mais calma e consciente.

Falar com os especialistas

Um dos maiores preconceitos que temos é pensar que engravidar é uma tarefa fácil. Muito pelo contrário, a realidade é que o caminho nem sempre é fácil e linear, e para muitos casais, engravidar pode ser um processo duro e longo, que necessita de cuidados e preocupações acrescentadas.

Quanto tempo devo esperar até consultar um especialista?

A resposta varia de pessoa para pessoa. Muitas mulheres procuram especialistas mesmo antes de tentar engravidar, para tentar ficar preparadas para o futuro. No entanto, se já está a tentar engravidar e não mostra sinais de sucesso, é aconselhado procurar um especialista em fertilidade depois de 12 meses de tentar conceber, se tiver menos de 35 anos. Se tiver mais do que 35 anos, procure um especialista depois de 6 meses.

Como devo preparar a minha primeira consulta?

Manter uma postura aberta ao diálogo é um primeiro passo fundamental. Deste modo, fale com o seu parceiro antes da consulta sobre o tema, tente antever os aspetos que poderão ser necessários referir na consulta e reúna uma lista de perguntas essenciais ao seu caso. Ainda mais, anote alguns apontamentos sobre o seu estilo de vida e rotina de casal, como o uso de suplementos e fármacos, consumo de bebidas alcoólicas, frequência de relações sexuais ou outros aspetos. Este passo é fundamental, uma vez que irá permitir ao método detetar situações, algumas até de resolução simples, que podem estar a comprometer a sua fertilidade. Aqui, toda a informação é importante.

Que perguntas devo fazer?

Se já tiver feito a sua pesquisa e anotado as informações mais relevantes para perguntar ao médico, reserve mais uma página para algumas perguntas que deseje fazer. As preocupações variam de pessoa para pessoa, mas existem algumas perguntas frequentes neste tipo de situações. Eis alguns exemplos:

  • Por que razão não consigo engravidar?
  • Que hábitos devo mudar?
  • Em que altura do mês devo ter relações sexuais?
  • Como posso fazer para reduzir o stress e ansiedade
  • Devo mudar a minha dieta?
  • Recomenda algum tratamento?
  • Tem contraindicações?
  • A quem posso recorrer se precisar de ajuda?

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.