Uma caminhada é exercício físico? A resposta é capaz de ser uma surpresa para si

João Caravaca

Treinador e diretor técnico dos Ginásios Spald

Para darmos início a esta nossa parceria editorial entre o Escolher Viver e os Ginásios SPALD, nada melhor do que começarmos pelo início e pelas definições básicas: atividade física, exercício físico e desporto.

Não, leitor e leitora, não estamos a ir longe de mais neste recuo ao básico. É importante percebermos muito bem o significado de cada termo e detetarmos as diferenças, de forma a definir bem as nossas escolhas e objetivos  para a promoção de hábitos de vida saudáveis.

A atividade física deve ser encarada como um termo mais abrangente e “contempla qualquer movimento realizado pela musculatura esquelética do corpo (principais músculos do nosso corpo), que resulta num dispêndio energético acima dos valores de repouso”.

Vamos a um exemplo: uma pessoa que trabalha exclusivamente num escritório tem muito menos atividade física do que uma pessoa que trabalha no campo e que faz da agricultura o seu modo de sustento permanente. No entanto, em nenhum dos dois casos está pensada a promoção dos níveis da saúde.

Da mesma forma, uma caminhada, uma corrida ou um passeio de bicicleta são atividades que requerem um esforço físico (atividade física), mas não o podemos incluir no conceito de exercício físico.

Por sua vez, o exercício físico tem como referência uma abordagem mais assertiva e escrupulosa e deve ser encarado como uma sequência sistemática de movimentos que são executados de forma planeada com um objetivo muito específico, tendo em conta a promoção da melhoria do nosso fitness e da nossa saúde.

Ou seja, o exercício físico é a atividade física realizada em momentos de lazer ou nos tempos livres, de preferência sob a supervisão de um profissional. No exercício físico sacrificamos o resultado em prol do nosso corpo. O mais importante não é o resultado final, mas sim os benefícios que ganhamos para a nossa saúde.

Mesmo sendo uma pessoa com um trabalho que exige bastante atividade física (como por exemplo um operário da construção civil), o trabalho do dia a dia não procura por si só a promoção dos níveis de saúde.

O facto de ser um “ciclista de fim de semana”, que ao domingo faz o seu passeio de bicicleta , não faz do senhor Silva um praticante de exercício físico, mas sim alguém que pratica atividade física.

A importância do resultado final

O desporto, por sua vez, afasta-se drasticamente do propósito do exercício físico (promoção da Saúde), referindo se ao “jogo e à competição, correspondendo ao sistema organizado de movimentos, regras e técnicas executadas no contexto de atividades competitivas regulamentadas”.

Se no exercício físico sacrificamos o resultado em prol do nosso corpo, no desporto sacrificamos o nosso corpo em prol do resultado. O mais importante é o sucesso da performance, ou seja, já não os benefícios que ganhamos com a sua prática, mas sim o produto final.

Os atletas em quadros competitivos como por exemplo os jogos coletivos (futebol, basquetebol, hóquei, andebol, etc) ou as provas individuais (ciclismo, BTT, atletismo, entre outras), estão mais preocupados com o resultado final. O que é importante é ganhar a todo o custo ou chegar ao final a todo o custo.

Para finalizar, é importante salientar que de todas as formas de atividade física referidas anteriormente, nenhuma é desaconselhada. Todas promovem benefícios para a conquista de hábitos de vida saudáveis (pelo sim,  pelo não  – MEXA SE!).

Importante é percebermos que escolhas devemos fazer para as nossas necessidades, de forma a chegar aos nossos objetivos de vida de uma forma saudável, sem comprometer nenhum dos conceitos referidos anteriormente.

Este texto foi escrito no âmbito da nova parceria entre o Escolher Viver e os Ginásios Spald. Veja aqui que parceria é esta.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.