Faz dieta mas não há meio de emagrecer? Aqui está a explicação

Diana Rosa

Jornalista

Quem luta desde sempre pela perda de peso sabe bem do que estamos a falar. E de como o insucesso e o fracasso ecoam nas nossas cabeças e criam ansiedades desnecessárias. “Que raio! Faço tudo como está no regime e não há meio de emagrecer”. Afinal, o que se está a passar consigo? Não temos uma bola de cristal, mas a resposta pode muito bem andar por aqui…

Um belo dia acordou, viu-se ao espelho e pensou: “É desta que tenho de emagrecer!” Comprou o melhor equipamento de desporto, escolheu a sua playlist preferida, e saiu à rua para fazer umas boas corridas. Já na cozinha, deitou fora os doces e os salgados, encheu o frigorífico de alimentos aparentemente saudáveis, e iniciou assim a sua estratégia de perda de peso, rumo ao próximo verão.

Mas os dias vão passando e a balança não é coerente no seu veredicto. Ora perde umas gramas, ora mantém, e há mesmo dias que, não sabe como nem porquê, ainda aumenta de peso!

Existem várias razões pelas quais isso acontece, e nem todas significam que está a fazer alguma coisa mal. Aprenda a conhecer o seu corpo e, sobretudo, acalme-se. Vamos desvendar os mistérios do peso e perceber porque é que isto acontece.

Massa gorda e massa magra

Em primeiro lugar, vamos aqui separar as águas. A balança não é o único indicador de sucesso do seu processo de emagrecimento. Para isso, o melhor é mesmo ir a um nutricionista e fazer uma análise física, para saber de que é feita a sua composição corporal. Como o músculo é mais pesado do que a gordura, é natural que, ao intensificar a sua atividade física, ganhe massa magra. O que significa que pode estar a emagrecer e mesmo a perder volume, fortalecendo a sua massa muscular.

Não dorme o suficiente

O sono é fundamental para o rejuvenescimento das células, para o funcionamento de todos os órgãos do nosso corpo, e também para perder peso. Costuma-se dizer que o sono alimenta, e é bem verdade. Numa noite bem dormida o seu corpo vai produzir mais hormonas que aceleram o metabolismo, vai sentir mais energia durante o dia, e também vai ter menos fome. Além disso, quando dorme pouco, vai estar a promover um aumento de cortisol, que reduz as possibilidades de emagrecer. O ideal é que durma, pelo menos, sete ou oito horas por noite.

Bebe pouca água

Diz o povo que para emagrecer é só fechar a boca. Em parte é verdade, a grande fatia deste processo é mesmo a alimentação. Mas não só. Beber muita água é fundamental para acelerar o metabolismo, queimar mais calorias, eliminar gorduras e toxinas, e promover uma maior sensação de saciedade. Recomenda-se que beba pelo menos um litro e meio de água por dia, que também pode ser em forma de chá ou água aromatizada, sem açúcar.

Menstruação

No caso das mulheres este é um período especial. A produção de hormonas aumenta durante esta fase do ciclo menstrual, fazendo com que muitas pessoas de queixem que sentem mais fome. Além disso o corpo eleva o nível de retenção de líquidos, o que faz com que o corpo inche, o que não significa necessariamente que tenha engordado, apesar do que dita a balança.

Menos gordura não significa menos açúcar

Muitas vezes estamos mal informados acerca do valor nutricional dos alimentos e baseamo-nos nos títulos das embalagens. Quando vamos ao supermercado encontramos muitos produtos que se identificam como tendo menos gordura, mas atenção: não significa que não engorde. É muito frequente que a gordura que é retirada de certos produtos seja compensada em forma de açúcar, para manter a textura e o sabor. O ideal quando escolhe o que traz para casa, é ler o rótulo.

Exagerar na fruta

A fruta é saudável, e ninguém lhe vai dizer o contrário! Este alimento rico em nutrientes faz parte do grupo de maior consumo na roda dos alimentos (assim como os legumes) e por isso deve ser consumido diariamente. Mas cuidado com as quantidades. Lembre-se que a fruta tem o seu açúcar natural, neste caso, a frutose, e que, comida em exagero, também pode provocar um ligeiro aumento de peso. Se está a tentar baixar os números da balança, não coma mais do que três peças por dia, e escolha frutos com menos teor calórico, como por exemplo, frutos vermelhos, maçãs ou peras. Já que cortou nos hidratos de carbono, não se esqueça de se conter também no que diz respeito à fruta.

Ansiedade e stress

Perdemos a conta a quantas coisas a ansiedade e o stress fazem mal, mas se acha que é só ao humor, desengane-se. A mente está diretamente ligada com o seu corpo e se não está bem psicologicamente, o seu físico vai-se queixar. Na perda de peso, não é exceção. O stress aumenta a produção de cortisol, que faz com que o seu corpo fique inchado, além de deixar o seu metabolismo mais lento. Em alguns casos, os nervos fazem com que a fome desapareça, já noutras pessoas, o apetite teima em não as largar. Relaxe, tire alguns minutos diários para respirar fundo e planear o seu dia, e ponha o stress de parte. Ou pelo menos, tente.

Álcool

Não adianta cortar na alimentação se depois toma um copo ou dois por dia, principalmente no que diz respeito a bebidas espirituosas e que contenham níveis elevados de açúcar. As exceções vão para o vinho tinto e cerveja, mas é só um copo de vez em quando, caso contrário, conte com mais uns quilos nos dias seguintes.

Prisão de ventre

Pode estar relacionada com vários dos fatores que mencionámos anteriormente. Se dormir pouco, não beber água o suficiente, ou mesmo relaxar na atividade física, o seu intestino vai ficar preguiçoso. E como o intestino é o nosso segundo cérebro, convém que ele funcione corretamente. Lembre-se de andar sempre bem hidratado e de fazer exercício diariamente para estimular o transito intestinal.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.