Guia para sobreviver ao Natal sem duplicar o peso na balança… e na consciência

Diana Rosa

Jornalista

A menos de uma semana do Natal, continuamos a pensar em si. E com ou sem Covid, a verdade é que está aberta a época dos jantares de Natal, para não falar dos feriados oficiais, que nos levam a comer este mundo e o outro, principalmente no que diz respeito aos doces, que nós, os portugueses, somos tão competentes a confecionar (e a provar).

Estamos a uma semana do Natal. O mais normal é que se ganhe algum peso nesta altura, mas porquê? Não podemos usufruir dos prazeres da mesa natalícia sem destruir meses de esforço no ginásio e de dieta? Podemos. Engordar não é uma condição inevitável no mês de Dezembro e vamos aqui delinear estratégias para conseguir ultrapassar esta maratona de excessos com sucesso, e saúde!

Podemos começar por dizer o óbvio. Pode iniciar uma alimentação mais regrada e restritiva a partir de agora, tentando perder um ou outro quilo que possa ser recuperado no Natal. Mas se isso significa que depois se vai agarrar à mesa das sobremesas em modo ‘livre trânsito’, deixe-nos dizer-lhe que não lhe vai valer de muito perder um quilinho ou dois agora. É difícil perder, mas para ganhar é um instantinho.

Se não faz exercício regularmente, comece já!

Os médicos indicam que, para manter uma boa saúde, devemos fazer pelo menos duas horas e meia de exercício por semana. O que significa que poderá repartir isso pelos dias úteis e fazer, por exemplo, uma caminhada de meia hora por dia. Mas isto é o mínimo para se manter saudável. Se quer controlar alguns disparates, natalícios ou não, convém que invista mais tempo em actividade física, ou que intensifique os exercícios que faz durante essa meia hora.

Mantenha rotinas alimentares saudáveis

Como por exemplo, os horários das refeições. Mesmo que vá jantar fora, tente não o fazer a horas tardias. Jantar cedo é uma boa prática para que consiga digerir bem os alimentos até à hora de se deitar.

Opte por carnes magras

Sabemos que a carne é um alimento a comer com moderação, mas reconhecemos que é difícil – principalmente em restaurantes – fugir aos pratos carnívoros. Escolher carne magras como peru, frango ou coelho, é uma boa estratégia para reduzir calorias, e acima de tudo, o teor de gordura ingerida. Não se esqueça de evitar o presunto, chouriço e restantes enchidos.

Capriche nas entradas saudáveis

Os aperitivos são indispensáveis para um jantar bem regado. E não queremos tirar-lhe esse prazer. Mas isso não significa que tenha de comer combinações mortíferas de gordura ou bombas calóricas. Ponha de lado as batatas fritas e os snacks de pacote que vêm cheios de sal, e dê lugar a uma mesa colorida, com entradas saudáveis e saborosas. Já experimentou fazer húmus com uns palitos de cenoura, ou batata doce laminada no forno? Experimente.

Seja prudente nas porções

Um prato de comida pode ter um pouco de tudo, mas as porções ocupadas por cada grupo alimentar são essenciais para manter o controlo daquilo que está a comer. Encha metade do prato com vegetais ou salada, e guarde o resto para dividir entre os hidratos e a proteína. É importante que coma devagar, para que o seu cérebro receba a informação de que já não tem fome, evitando repetições desnecessárias e causadas por gula.

Cuidado com as bebidas

Não adianta de nada ter um prato saudável se depois acompanha com um ou dois refrigerantes. Aliás, os refrigerantes nem devem ser incluídos na sua refeição. Já que estamos em época festiva, é preferível que beba um bom copo de vinho tinto a acompanhar o seu repasto, do que um sumo cheio de açúcar ou uma bebida branca. Tenha atenção às quantidades. Mesmo o vinho tem um teor calórico considerável e, além disso, não queremos que termine o jantar sem conseguir fazer o “quatro”.

Não saia de casa com fome

Comer uma peça de fruta antes de sair de casa para um jantar, ou um punhado de frutos secos, pode ser uma estratégia útil para que não chegue à mesa esfomeado e sem filtros no que toca à escolha do que vai comer. Do mesmo modo que dizemos para não ir às compras com fome, não vá a jantares com fome!

Cuidado com os doces

Estima-se que, no Natal, as pessoas cheguem a comer cerca de 6000 calorias por dia, o que representa três vezes mais do que aquilo que se deve ingerir. E muito graças aos doces. Provar as sobremesas e ir picando uns sonhos parece inevitável na quadra natalícia. Mas se for possível, escolha antes fruta à sobremesa, como ananás ou kiwi. Se não conseguir, opte por comer os doces durante o almoço e abdique deles ao jantar. Eleja o doce que mais gosta para que se sinta satisfeito, e não ande a saltar de prato em prato.

Mexa-se durante os eventos

Esta é uma quadra de celebração e de alegria, e a música é sempre um bom pretexto para dar um pézinho de dança. Anime os seus jantares e desfrute de bons momentos entre família e amigos ao som das suas músicas preferidas, e enquanto isso estará a queimar as calorias que consumiu à refeição.

Um dia festivo – dois de detox

Mesmo com todas estas regras para minimizar os estragos, não é possível evitar pequenos exageros e pontapés na dieta, nem queremos que viva estes momentos sob essa ansiedade de ter de pensar em tudo o que come. E por isso, é importante que nos dias que se seguem, desintoxique o organismo dos excessos cometidos. Restabelecer o corpo com um ou dois dias de detox vai libertá-lo de peso, gorduras e açúcar, estimular o trânsito intestinal e ajudá-lo a retomar a alimentação normal. Aposte na fruta e legumes durante estes dias, e ponha de lado o consumo de hidratos de carbono simples e de carnes. Beba bastante água, faça os seus sumos detox e tenha sempre sopa nas refeições principais.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.