Mito ou facto? A dieta vegetariana é mais cara do que a de origem animal

Carolina Jesus

Produtora de conteúdos

O preço da lista de compras é um fator decisivo para quem equaciona tornar-se vegetariano. Há ainda quem pense que esta escolha cabe só aos mais ricos, dispostos a pagar grandes valores pelo que consomem. No entanto, não é bem assim…

Um novo estudo da The Lancet Planetary Health, comparou os preços de diferentes dietas em 150 países, entre a vegetariana, vegan, a flexitariana (ou semivegetariana), e a pescetariana, que corresponde à exclusão da carne, mas não do peixe.

Desta análise, provou-se que as dietas “saudáveis e sustentáveis”, correspondendo às três primeiras, eram cerca de um terço mais baratas, nos países de médio-alto e alto rendimento. Destas, a vegana era a que sofria uma maior redução, entre 21% e 34%, a vegetariana de 27% a 31%, e as semivegetarianas em 14%.

Já na dieta pescetariana, os custos aumentavam cerca de 2% do seu preço original, sofrendo o efeito contrário.

No entanto, apesar de terem valores mais baixos, países de médio-baixo e baixo rendimento também têm reduções de 18% a 29% nos produtos das dietas veganas, vegetarianas e semivegetarianas.

Para este estudo, também foram analisados os custos de saúde associados às diferentes dietas, assim como os seus respetivos impactos climáticos, avaliando a pegada carbónica social.

Estes são dois fatores cujos investigadores dizem ser fatores importantes e que não costumam estar associados aos gastos com os produtos, o que leva à “distorção dos preços e pode contribuir para decisões de consumo que são prejudiciais para a saúde pública e para o ambiente”.

Sendo assim, fizeram, também, uma previsão para 2050, com base num cenário hipotético em que havia menos desperdício alimentar e onde os preços se tornavam justos, face aos impactos na saúde e no clima.

Desta forma, calculou-se que haveria uma redução de 37% no preço destes produtos, no geral, e de 25% a 29% nos países de médio-baixo e baixo rendimento.

Provou-se, então, que, além de adotarem um estilo de vida mais saudável e sustentável, os consumidores teriam “os seus preços reduzidos, ao mesmo tempo que ajudavam no combate das alterações climáticas do seu país”.

Quais as verdades à volta deste mito?

Apesar de termos visto que, de facto, a dieta vegetariana acaba por sair mais barata, quando comparada com a pescetariana, há certos produtos que influenciam o pensamento de que é o contrário.

Os do topo da lista são os processados. Comida pré-feita, como hambúrgueres, salsichas e almôndegas, acabam por sair muito mais caros. No entanto, o consumo destes alimentos também não é completamente aconselhado, por serem prejudiciais para a saúde, devendo ser uma exceção.

Segundo as linhas de orientação para uma alimentação vegetariana saudável da  Direção-Geral da Saúde (DGS), os alimentos que devem ser incluídos são “fruta, hortícolas, laticínios ou alternativas vegetais, leguminosas e derivados, cereais e tubérculos, frutos gordos e sementes, gorduras (azeite e óleos vegetais, creme vegetal e manteiga), e ovo”.

Além disso, também é aconselhado que se opte por produtos da época, o que também acaba por sair mais barato e nutritivo para o consumidor.

Outro fator que poderá influenciar os preços de ambas as dietas é a necessidade de recorrer a suplementos alimentares, de forma a repor os nutrientes em falta. Isto acontece nomeadamente com a vitamina B12 e com o ferro, e a solução para isso é procurar alimentos que sejam ricos nestes nutrientes.

Comparação entre listas de compras

Não há melhor forma para comprovar o que os estudos enunciam, a não ser ir diretamente ao supermercado e ver com os nossos próprios olhos.

O website VeggieKit fez uma comparação entre os produtos de uma dieta à base de vegetais e de uma de origem animal, com a mesma composição nutricional, e sem incluir comida pré-feita.

Lista de compras dieta vegetariana

  • Feijão vermelho enlatado (830 gr.): 0,95€
  • Grão de frasco (540 gr.): 0,53€
  • Lentilhas Verdes secas (500gr): 1,30€
  • Ervilhas congeladas (1 kg.): 1,09€
  • Arroz integral (1kg): 1,35€
  • Flocos de Aveia Fina (400 gr.): 0,65€
  • Leite de Soja (4 lts.): 4,00€
  • Azeite Virgem (750 ml): 2,90€
  • Iogurtes Naturais de Soja (4 x 100 gr.): 1,50€
  • Sementes de linhaça (250 gr. a granel): 0,65€
  • Sementes de girassol (200 gr.): 0,90€
  • Metades de Noz (250 gr.): 3€
  • Tofu Fresco (500 gr.): 2€
  • Seitan (500 gr.): 2,50 €
  • Soja texturizada granulada (400 gr.): 1,20€
  • Manteiga de Amendoim (340 gr.): 1,85€
  • Bananas (1 kg.): 0,99€
  • Tomate (1 kg.): 1,25€
  • Brócolos (300 gr.): 1€
  • Cenouras (1 kg.): 0,75€
  • Laranjas (1 kg.): 0,85€
  • Espinafres (200 gr.): 1,30€
  • Couve Lombarda (1 kg.): 1€
  • Batata Doce (1kg.): 1,30€
  • Alho francês cortado/congelado (750 gr.): 0,90€
  • Batata (saco 3 kg.): 2,50€
  • Cogumelos Brancos (300 gr.): 1,60€
  • Maçã (1 kg.): 1,45€
  • Beterraba (400gr.): 0,87€

TOTAL: 42,06€

Lista de compras dieta e origem animal

  • Feijão vermelho enlatado (830 gr.): 0,95€
  • Grão de frasco (540 gr.): 0,53€
  • Pescada para cozer congelada (600gr.): 5,72€
  • Arroz (1 kg.) – Auchan: 0,60€
  • Flocos de Aveia (400 gr.): 0,65€
  • Leite Meio gordo (4 lts.): 2,40€
  • Azeite Virgem – (750 ml.) – Continente: 2,90€
  • Iogurtes Naturais (4 x 100 gr.) – Continente: 1,20€
  • Fiambre de Perú (180 gr.): 1,85€
  • Metades de Noz (250 gr.): 3€
  • Queijo Flamengo Fatias (250 gr.): 1,60€
  • Peito de frango (500 gr.): 3,50€
  • Bifes de Perú (500 gr.): 3,00€
  • Carne de Aves picada (400 gr.): 2,95€
  • Ovos (1/2 dúzia): 1,30€
  • Bananas (1 kg.): 0,99€
  • Tomate (1 kg.): 1,25€
  • Brócolos (300 gr.): 1€
  • Cenouras (1 kg.): 0,75€
  • Laranjas (1 kg.): 0,85€
  • Espinafres (200 gr.): 1,30€
  • Couve Lombarda (1 kg.) – Auchan: 1€
  • Batata Doce (1 kg.): 1,30€
  • Alho francês cortado/congelado (750 gr.): 0,90€
  • Batata (saco 3 kg): 2,50€
  • Maçã (1 kg.): 1,45€
  • Beterraba (400gr.): 0,87€

 TOTAL: 46,31€

Desta forma, é possível perceber que a comida vegetariana ser mais cara consiste apenas num mito, não sendo uma verdade do quotidiano.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.