Mito ou Verdade: a gelatina light faz emagrecer?

João Rodrigues

Nutricionista inscrito na Ordem dos Nutricionistas com a cédula 3657N

Frequentemente ouve-se dizer que determinado alimento faz emagrecer. Dentro desse lote de supostos “milagres” da alimentação, encontram-se muitos alimentos diferentes, como por exemplo a gelatina light. E vai ser exatamente sobre este alimento que o nutricionista João Rodrigues, do Mundo da Nutrição, escreve hoje.


Vamos começar pelo princípio, pelo conceito de “alimento que faz emagrecer”. Por emagrecimento entende-se a perda de massa gorda, que, apesar de ser um processo muito complexo, pode resumidamente ser descrito como uma consequência de um gasto de calorias superior ao que é consumido. E se pensarmos neste conceito, facilmente percebemos que, na grande maioria dos casos, os alimentos não fazem emagrecer, mesmo que forneçam muito poucas calorias. De facto, a gelatina light é dos alimentos com menos calorias que se pode consumir. Normalmente tem entre 7 e 10 calorias por 100g, o que é um valor mesmo muito baixo (para ter uma ideia, se preparar 1L de gelatina light, tem tantas calorias como uma maçã média).

Devido a isso, é um alimento muito consumido por quem quer perder peso ou manter um peso baixo. A gelatina light (de origem animal) é composta essencialmente por proteína, corante, adoçante e mais alguns aditivos. Destes, é a proteína que vai fornecer as calorias da gelatina. Como a gelatina tem uma quantidade pequena de proteína, tem poucas calorias. Mas será que o facto de ter tão poucas calorias significa que vai fazer emagrecer? Se isso acontecesse, o truque era passar o dia a comer gelatina light, pois mesmo que se comesse vários kg de gelatina num dia, o peso ia diminuir mais do que aquilo que foi consumido…

Mas na realidade a gelatina light não faz emagrecer, apenas não contribui significativamente para o aumento da massa gorda, que é uma coisa muito diferente. Dito de forma mais simples, não é por não fazer engordar que se pode dizer que faz emagrecer!

A gelatina light contém um valor muito baixo de calorias, ou seja, não contribui de forma significativa para o ganho de gordura corporal. Mas não faz emagrecer.


Concluindo, se costuma consumir gelatina light na esperança de que isso o faça emagrecer, não está a pensar corretamente. De qualquer das formas, acho que a gelatina light pode ser um aliado para quem quer perder peso, pois tem algum efeito saciante, e ajuda a hidratar. Ou seja, vai ocupar uma parte do estômago com algo pouco calórico, e isso pode ajudar a que não se consuma tanta quantidade de outros alimentos mais calóricos. Mas volto a dizer, isto não é o mesmo que dizer que faz emagrecer…

Conclusão: MITO!

Gelatina de origem animal e gelatina de origem vegetal

Atualmente existem no mercado dezenas de variedades de gelatinas, com muitos sabores diferentes, desde os mais tradicionais até sabores bastante improváveis (ainda me lembro quando havia o sabor de morango e pouco mais…). Além dos sabores, há também outra diferença importante, que é a origem da gelatina. Na hora de escolher, é possível optar por gelatina de origem animal ou vegetal. Mas será que ambas são idênticas do ponto de vista nutricional?


A gelatina de origem animal é a gelatina mais vulgar. É composta principalmente por uma proteína chamada colagénio, que é extraída de várias partes dos animais. Devido à sua composição proteica, muitas vezes considera-se que a gelatina é uma sobremesa “saudável”. Em relação à gelatina de origem vegetal, esta não é composta por proteína, mas sim por um hidrato de carbono complexo chamado agar-agar (ou agarose). Este hidrato de carbono é extraído de algas.


Portanto, do ponto de vista nutricional, a gelatina de origem animal e a de origem vegetal são claramente diferentes. Claro que a parte dos aditivos (corantes, adoçantes, etc.), é comum entre ambos, mas a substância que confere a consistência gelatinosa é uma proteína na gelatina de origem animal e um hidrato de carbono na de origem vegetal. Ou seja, o resultado final pode ser parecido, mas são nutricionalmente muito diferentes. É caso para dizer, parecidas por fora, mas (muito!) diferentes por dentro…


Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.