NADA DE CONFUSÕES! Rinite e Sinusite

Diana Rosa

Jornalista

O serviço público continua. Os leitores perguntam-nos e nós procuramos a resposta. Hoje, nesta rubrica, falamos de rinite e sinusite, que tanta confusão cria na cabeça das pessoas. Até porque alguns dos sintomas são comuns…

Ora espirra, ora assoa-se. As dores de cabeça não o largam, o nariz fica avermelhado, e a garganta grita por ajuda. São sintomas típicos de quem passa as “passas do Algarve” com problemas do foro respiratório e alérgico. Até que decide agendar uma visita ao otorrinolaringologista (estávamos ansiosos por dizer esta palavra). Depois da consulta, vem de lá com o seu receituário e o diagnóstico da doença. Rinite. Não… Sinusite… Ainda se lembra de qual se trata? Esta história serve para ilustrar uma confusão habitual que muitos de nós tendem a fazer. Tanto uma como outra terminam em “ite”, e parece exatamente a mesma coisa. Só que não é.

Neste capítulo do “Nada de confusões” vamos desvendar as diferenças entre rinite e sinusite.

Rinite

A Rinite é uma mucosa no nariz, normalmente de origem alérgica, e que pode ser infecciosa. Esta mucosa provoca obstrução nasal, comichão no nariz e outros sintomas que são desencadeados pela reação de histamina. Estima-se que esta doença atópica afete cerca de 20% da população mundial, e dentro do rol das patologias alérgicas, como a asma ou eczema atópico, a rinite é a mais comum. Pode ser hereditária, e desenvolve-se em pessoas que têm uma hipersensibilidade a fatores externos como pó, ácaros, pólen, fungos, proteína animal.

Esta doença pode ser passageira, a não ser que se trate de rinite alérgica, em que a sua condição já é mais prolongada.

A rinite divide-se em dois grupos. Sazonal e perenal. No caso da sazonal, é caracterizada por intensificar os sintomas nas alturas da primavera, quando existe mais pólen das árvores, e no outono, quando surge o pólen das gramíneas.

 Os sintomas comuns são:

  • Nariz entupido
  • Dores de garganta
  • Espirros
  • Prurido – comichão no nariz e nos olhos
  • Cefaleias
  • Zumbidos nos ouvidos
  • Secreção nasal e expectoração
  • Fotofobia

O tratamento da rinite é geralmente composto por fármacos anti-histamínicos, sprays de descongestão nasal, corticoides e soro fisiológico.

Sinusite

Já a sinusite, diz respeito ao processo inflamatório dos seios perinasais, que são aqueles que rodeiam os olhos e a testa, daí que um dos sintomas mais frequentes seja uma dor bastante intensa nesta região do rosto. As secreções nasais ficam acumuladas nesta zona, causando inflamação e provocando o inchaço facial que, claro, vem acompanhada de dor. As causas podem ser alergias, tal como no caso da rinite, mas também vírus ou bactérias. No caso da sinusite crónica, pode derivar precisamente de uma má formação anatómica que impede o correto funcionamento respiratório, como o caso do desvio do septo ou estreitamento da cavidade nasal, que impede a drenagem das secreções que, em condições normais, seriam eliminadas naturalmente pelo organismo.

Os sintomas que costumam acompanhar esta doença, são os seguintes:

  • Dor na cara, principalmente na região do T (testa, nariz, olhos)
  • Cefaleia
  • Obstrução nasal
  • Febre
  • Fadiga
  • Dores de garganta
  • Perda de olfato
  • Tosse persistente

Também a sinusite pode ser tratada com corticoides, mas contrariamente à rinite, muitas são as vezes em que o tratamento passa pela toma de antibióticos. Parece semelhante, mas há uma diferença a assinalar. A rinite não tem cura, embora se possa controlar facilmente. Já a sinusite é uma situação que, independentemente da duração, pode ser curada, ainda que por vezes se recorra à cirurgia de correção do septo.

Em ambos os casos, a lavagem nasal com soro fisiológico é essencial para reduzir os sintomas e facilitar a sua desobstrução para alívio dos sintomas.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.