Não tem diabetes ou não sabe? Não esconda a cabeça na areia

Nuno Azinheira

Diretor do Escolher Viver

Quando lançámos este site foi com o objetivo de ajudar. De alertar todos os nossos leitores para a necessidade de fazermos escolhas saudáveis. Ninguém é santo, ninguém é perfeito e todos cometemos erros e fazemos disparates. Mas é fundamental que tenhamos consciência deles. Cidadãos informados são mais inteligentes.

A diabetes não é um papão. Mas é uma doença que, se não devidamente controlada, pode trazer grandes complicações no dia a dia e, se descontrolada durante muito tempo, patologias mais graves no futuro. Portanto, a pior solução é não querer saber, é encolher os ombros e continuar a andar, como se não fosse nada consigo.

E não se pense que a diabetes tipo 2 é uma doença de obesos. Portanto, se não tem excesso de peso não acredite que está tudo bem consigo. A diabetes tipo 2 é uma patologia civilizacional e está diretamente ligada aos nossos estilos de vida. Sim, pode não ter peso a mais e ter diabetes tipo 2. Portanto, que fique claro: a diabetes é uma doença de todos, transversal. Mas é certo que quem tem cuidados alimentares e pratica exercício físico tem menos probabilidades de ser diabético.

No nosso site, todos os dias produzimos conteúdos que nos tentam conduzir a uma vida mais saudável. Não porque a saúde seja uma moda, ou porque seja “trendy” falar agora destas coisas. Não, é porque o que semearmos hoje colhemos amanhã (ou logo à noite).

Vamos lá então ao resumo da matéria dada, aquilo que é essencial saber se não é (ou julga não ser…) diabético ou diabética. É fundamental ter em atenção a vários fatores:

  • Tem excesso de peso?
  • Adota uma vida muito sedentária?
  • Não tem grande paciência para ginásios?
  • Tem casos de diabetes entre os irmãos, pais ou avós?

De facto, a hereditariedade e o estilo de vida são fatores preponderantes para ter diabetes. Passada esta fase, a que sintomas deve estar atento/a? Que sinais lhe pode dar o seu corpo e que não deve ignorar?

Quando a glicemia está muito elevada, podem existir sintomas com:

  • Urinar em grande quantidade e mais vezes
  • Ter sede constante e intensa
  • Sensação de boca seca
  • Fome constante e difícil de saciar
  • Cansaço
  • Comichão no corpo (sobretudo ao nível dos órgãos genitais)
  • Visão turva

Se tem um ou mais destes sintomas, fale com o seu médico de família ou marque uma consulta na Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal. Mas mesmo que não tenha (ainda) um destes sintomas, avalie o risco de vie a ser diabético/a.

A própria APDP elaborou um inquérito para que possa, em privado, avaliar o seu risco. Preencha esse inquérito aqui.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.