Nove pratos de domingo. Ai que desgraça: sabem tão bem e fazem tão mal!

Nuno Azinheira

Diretor do Escolher Viver

É ao domingo que nos entregamos aos prazeres da mesa. Temos mais tempo, uma outra disposição, e sempre reunidos com aqueles de quem mais gostamos. São assim os almoços de domingo de norte a sul. Mas atrás de cada prato-estrela da gastronomia portuguesa escondem-se centenas de calorias e altas quantidades de gordura…

Uma salada de atum? Um bife grelhado com legumes? Um peixe cozido com brócolos? Não, ao domingo não. O domingo é o dia do almoço em família ou com amigos. Aquele almoço que se prolonga até às quatro, que a comida vai ficando na mesa, que se vai depenicando mesmo quando o vinho já acabou e está na conversa, a beber café.

O domingo pede comida de conforto. De partilha. De elogios sussurrados. “Este bacalhau está divinal!”, ou “Ninguém faz o cabrito como tu”.

Não há um guia de pratos domingueiros. Nem nunca se fez uma sondagem nacional sobre os pratos que os portugueses preferem ao almoço de domingo. Mas temos a certeza que, se houvesse, se alguém a fizesse, os nove pratos que destacámos estariam lá presentes.

Todos eles são divinais, apurados pela mestria de anos de experiência. Todos eles fazem parte de nós: da nossa cultura, das nossas raízes, das nossas gentes. Todos eles são de conforto, de tacho e abastados nas doses generosas. E esse é o maior problema. É que ninguém come 100 gramas de Cozido à Portuguesa. Os dois bocados de carne de vaca, o pedaço de frango, de toucinho e as três rodelas de enchidos (chouriço de carne, de sangue e farinheira), por si só, já totalizam umas 200 gramas. Fora a couve, a cenoura, a batata, o nabo, o arroz. E há ainda quem lhe junte o feijão. Tudo regado com o caldo da cozedura das carnes. E, confesse lá, consegue ficar por um prato? Jura que não repete? Pois, bem nos parecia…

E o que falar da Feijoada à Transmontana? E do Arroz de Marisco? Ou do Leitão da Mealhada ou Negrais? Pronto, é isso. Hoje é domingo e é dia da asneira. Talvez assim seja mais fácil. O pensamento alivia-nos a consciência. Mas convém não perder de vista o essencial: cidadão informado é um cidadão mais consciente. Que o prato domingueiro lhe saiba bem, mas tenha consciência do que está a ingerir, para compensar logo mais. Ao jantar come uma sopinha, ok?

Percorra a galeria que preparámos para si, carregando nas setas vermelhas. Vai descobrir nove pratos típicos de domingo. Para todos calculámos uma dose média de 300 gramas (não ache estranho, é essa a quantidade que tem uma dose normal destas comidas…) e tomámos como referência a informação constante no nosso já bem conhecido site FatSecret Portugal. Veja os valores de gordura, tome nota das calorias que ingere, perceba a quantidade de sal que mete no organismo, muitas vezes o equivalente a mais de metade do recomendado para o dia inteiro.

Mas que não lhe caia mal. Se é para comer, vá em frente. Bom proveito! Tenha um domingo feliz.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.