O DIÁRIO DE UMA EX-OBESA – 2

Sofia Grangeio

Uma história de superação. Confissões, vitórias e derrotas contadas na primeira pessoa. Todas as semanas, Sofia escreve uma crónica no site Escolher Viver.

Sofia, antes

Um caminho longo

Na crónica anterior disse-vos que desde muito cedo, com mais ou menos razão, me senti refém do meu corpo. Na origem deste sentimento estava o excesso de peso, que o passar do tempo, com as minhas faltas de cuidado e os tropeções que se me depararam, só se agravou.

Por volta dos meus 18 anos dei início a um conjunto multivariado de tentativas de perder peso: entre dietas, comprimidos milagrosos e intervenções não invasivas, julgo que experimentei de tudo…

Sofia, agora

Como acontece com muitos obesos, no início era tudo uma maravilha: cada novo procedimento, cada nova tentativa, os resultados eram visíveis. O meu foco era total, com as idas ao ginásio e cumprimento rigoroso da dieta. O ideal é que conseguíssemos entrar numa máquina do tempo, que acelerasse o processo e que, quando de lá saíssemos, uns meses depois, já tivéssemos perdido dez, 15, ou 20 quilos. Mas todos sabemos que isso não é bem assim. O processo, qualquer processo desde que seja saudável e estruturado, é sempre tão lento que primeiro que os resultados sejam realmente visíveis, eu já estava desmotivada. Porque é bom que as pessoas percebam: mesmo quando nos dizem “já estás mais magra” ou “já se nota”, esses elogios são simpáticos, mas são apenas o início de uma longa maratona.

Manter o foco, não prevaricar, é talvez o maior desafio a quem tem muito peso para perder. E eu não era exceção. Ainda ia a procissão no adro e já eu me sentia a cair em tentação. Resultado: voltava sempre à casa de partida e a recuperar e aumentar os quilos perdidos. No entanto, após cada falhanço, nunca perdi a alegria e a vontade de tentar de novo.

Nunca desisti, e olhando para fotografias antigas, relembro os sentimentos que então me assaltavam no fim de cada experiência falhada: tristeza, vontade de isolamento, alguma revolta perante os resultados que não conseguia atingir!! E o que fazia? Vingava-me na comida, o meu porto de abrigo, “a amiga” que estava sempre lá para mim… Mas como sempre fui muito positiva e tinha a convicção que um dia iria conseguir emagrecer, durava pouco esta minha desilusão; mãos à obra e nova tentativa já estava na calha.

É disso que vos falarei na crónica da próxima semana. Preparem-se, comecem a apertar os cintos, porque na próxima crónica vão fazer uma viagem comigo. A louca viagem às várias dietas perdidas…

Outras histórias que vai querer ler

1 Comment

  • Revejo-me !!
    Linda e gordita 🙄
    Vou começar a minha caminhada, são só 10.
    Abraço grande

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.