O PORQUÊ DAS COISAS: Porque é que o olho treme?

Diana Rosa

Jornalista

Está a falar com alguém, e de repente, a pálpebra começa a tremer. E treme, e treme, e esfrega o olho mas ele teima em não parar. Sente-se constrangido e não percebe porque é que de repente o seu olho tem vida própria. Já lhe aconteceu, não já? Mas porque será que de repente, e sem razão aparente, a pálpebra começa a tremer? É isso que vamos saber neste “O porquê das coisas”.

O que é?

O tremor na pálpebra tem um nome muito estranho de se dizer, que é “blefaroespasmo”. Este fenómeno acontece vulgarmente por causa de cansaço ou stress. No entanto, também pode estar associado a alguma doença que pode provocar este sintoma. O blefaroespasmo benigno consiste numa repetição rápida e involuntária de espasmos nos músculos das pálpebras, e que pode acontecer num só olho, ou nos dois ao mesmo tempo. Este espasmo impede a pessoa de piscar o olho, mas este é um fenómeno que também pode acontecer noutras partes do corpo, como no lábio, nos dedos, pescoço, e por vezes no corpo todo. Quando este tremor na pálpebra é constante e persistente, deve consultar o seu oftalmologista, uma vez que pode significar alguma patologia ocular ou mesmo neurológica.

O blefaroespasmo tem mais probabilidade de acontecer em dias com elevado stress, cansaço, ansiedade, nervosismo, falta de vitamina B, traumas psicológicos, consumo excessivo de café ou de álcool. Pode também estar relacionado com o uso em excesso de ecrãs como telemóvel, tablet, computador, televisão, leitura prolongada, ou grandes viagens ao volante.  A manifestação deste tremor pode durar apenas alguns minutos, mas também pode prolongar-se por várias horas, e pode vir acompanhada de dor de cabeça tonturas e olho lacrimejante.

Como posso parar este tremor?

Quando se trata das causas comuns ligadas com ansiedade, stress ou cansaço, não vale a pena esfregar o olho na esperança que passe. O que tem de fazer é procurar relaxar o máximo possível. Respire fundo, se souber meditar, pois pode fazê-lo, e sobretudo durma bem. Normalmente isto é suficiente para resolver o problema.

Poderá também ser aconselhado a tomar ansiolíticos ou suplementos alimentares como vitamina B e magnésio.

Já quando o tremor é persistente e se torna crónico, habitualmente a estratégia passa pela prescrição de injeções de toxina botulínica – mais conhecida por botox – que é aplicada diretamente na palpebra. Esta substância provoca a diminuição de movimento dos músculos no sítio onde é injetada, reduzindo os espasmos repetidos.

Isto já lhe aconteceu hoje? Então está na hora de ir descansar…

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.