O que é que a banana tem? Tem tudo como ninguém!

Diana Rosa

Jornalista

É o fruto perfeito! É rápido e prático – é só ir descascando e comendo, mesmo em andamento. Dá energia – excelente para quem treina. Saboroso – a consistência e o paladar casam na perfeição. Mas isso dizemos nós, que somos suspeitos. Mas, afinal, a banana é ou não um alimento indicado? Que é muito completo e cheio de benefícios, sim, mas para quem quer perder peso… a teoria divide-se.

A banana é um alimento alvo de várias fases ao longo a sua existência. Ora diz-se que comer uma banana é o mesmo que comer um bife, ora diz-se que engorda… Noutras alturas acredita-se que afinal pode ser incluída na dieta e é ótima para quem faz desporto. O que é certo é que é um dos frutos mais populares entre miúdos e graúdos, e lá que satisfaz um ratinho a meio da tarde… satisfaz! Vamos lá então perceber o valor nutritivo da banana e saber afinal a que é que ela faz tão bem.

A banana é um fruto tropical, com alto teor de hidratos de carbono, vitaminas, minerais e muito saborosa. É dos frutos que têm um maior poder de contribuir para a saciedade quando a fome aperta, oferece elevados níveis de energia, e é muito versátil. Pode ser consumida ao natural, verde ou madura, em papas, em receitas como pães, panquecas, com iogurte… enfim, é um fruto que dá para tudo e mais alguma coisa. Versatilidade não lhe falta.

E a banana faz bem a quê? É isso que vamos ver:

Diminui o apetite

Porquê? Porque para além dos hidratos, é muito rica em fibras, o que aumenta a saciedade e deixa-o sem sensação de fome durante mais tempo do que a maior parte dos frutos.

Reduz o aparecimento de cãibras

Esta é principalmente para desportistas, ou para quem tem défice de magnésio e potássio, uma vez que a banana é rica nestes dois nutrientes que favorecem os músculos.

Regula o trânsito intestinal

Principalmente quando está ligeiramente madura, para o caso de quem tem obstipação. No caso de diarreia aconselha-se a que se coma mais verde.

Ajuda a combater a depressão

Assim como a melhorar a qualidade do sono, uma vez que contém triptofano, que ajuda a produzir as hormonas da boa disposição e funcionando como efeito calmante, também graças ao magnésio, que tem um papel tranquilizante.

Reduz a pressão arterial

Uma vez que o magésio e o potássio favorecem o relaxamento dos vazos sanguíneos.

Previne doenças cardiovasculares

Pela sua riqueza em fibras, que faz com que o organismo tenha maior capacidade de não absorver o colesterol, e pelo seu elevado teor de potássio, que previne o risco de episódios cardiovasculares como enfartes ou AVC.

Fortalece a imunidade

Graças à riqueza de vitaminas como a C, que é um poderoso antioxidante, além de vitamina B6 que reforça as defesas e ajuda no correto desenvolvimento celular.

Previne Gastrites

Por ação de uma substância chamada leucocianidina, um flavonoide que regula o pH do estômago, e favorece uma maior espessura da mucosa gástrica

Previne o envelhecimento precoce

Para além de favorecer a cicatrização, a banana é rica em colagénio que é a substância imprescindível para o rejuvenescimento da pele, assim como para que ela se mantenha naturalmente hidratada.

Oferece energia

Quem faça desporto regularmente tem aqui uma poderosa aliada. Uma vez que contém hidratos de carbono, deve ser consumida antes do treino. Não faça exercício com fome.

Previne o cancro

Nomeadamente o do cólon, uma vez que é rica em antioxidantes e fibras que vão promover um sistema digestivo com mais saúde.

E os diabéticos? Podem comer banana?

É um dos mitos mais frequentes: a banana está proibida, sobretudo, aos diabéticos tipo 2. Não é verdade. É certo que a banana tem um teor médio de açúcar na ordem dos 20,5 g por 100 g, o que faz com que não possa ser comida sem limites.

Mas, mais do que o açúcar que a banana tem, importa olhar para o índice glicémico. O que é isso? O índice glicémico classifica os alimentos com base no nível e com que rapidez eles elevam os níveis de açúcar no sangue.

As pontuações vão de 0 a 100 com as seguintes classificações:

  • IG baixo: 55 ou menos.
  • IG médio: 56-69.
  • IG alto: 70–100.

Quem tem diabetes tipo 2, o tipo de diabetes mais decorrente dos hábitos alimentares, deve procurar basear a sua dieta em alimentos com baixo ou médio Índice Glicémico. Não quer dizer que não possa comer um alimento de alto nível glicémico, mas isso significa que tem de contar com a subida do pico de açúcar no sangue.

De outra forma, os alimentos com IG baixo são absorvidos mais lentamente e causam um aumento mais gradual nos níveis de açúcar no sangue, em vez de grandes picos. É isso o desejável para um diabético. E então as bananas, pergunta o/a leitor/a?

No geral, as bananas variam entre baixo e médio na escala IG (entre 42 e 62, dependendo da maturação). Ou seja, apesar de serem calóricas (e alguns nutricionistas as afastarem das dietas hipocalóricas de perda de peso…), as bananas, comidas com moderação, não são um inimigo dos diabéticos.

Além disso, as vitaminas, fibras e sais minerais desta fruta são bons para quem sofre desta patologia. Os autores de um estudo científico realizado em 2014 concluíram que o consumo ocasional de banana não tem um impacto negativo no aumento da glicose na corrente sanguínea. Em 2017, uma outra investigação, envolvendo 500.000 voluntários, apurou que os frutos com um índice glicémico mais baixo são, de facto, mais seguros para os diabéticos.

Portanto, meninos e meninas com diabetes, não desatem a comer bananas como se não houvesse amanhã, mas não desistam de deste fruto maravilhoso.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.