Os primeiros sete disparates alimentares que tem de parar de fazer. Pela sua saúde

Diana Rosa

Jornalista

São erros habituais. Ou porque gostamos, ou porque é tradição, ou porque fica melhor, ou porque nos ensinaram assim. Ou porque sim. Convenhamos que não tem de haver uma grande razão para fazermos um disparate. Reunimos os primeiros sete, mas a lista continua. Se seguir as nossas sugestões, já terá valido este ralhete…

Os leitores do Escolher Viver para nós são como família. E por isso mesmo, sentimo-nos no direito (e na obrigação!) de hoje vir aqui dar-vos um grande raspanete, seus marotos!

Sabemos que aqui há pessoas muito disciplinadas, que cumprem planos alimentares rigorosos e que só fazem disparates no célebre dia da asneira. Mas também há os malcomportados, que adoramos na mesma, mas que temos de chamar à atenção, porque andam a fazer asneiras diariamente, e muitas vezes sem se aperceberem!

O pior de tudo isto é que estes pecados disfarçados de anjinhos são muitas vezes o que contribui para vários sintomas ou doenças como colesterol, excesso de peso, diabetes, hipertensão, inchaço, inflamações, entre outras patologias.

De facto, há hábitos que são considerados “normais” de tão entranhados que estão na nossa educação alimentar. Por isso, não é de admirar que se façam certas misturas explosivas que arruínam a sua saúde e o número que aparece na balança.

Vamos lá então conhecer aqui alguns dos maiores pontapés na alimentação. No final, queremos fofoca! Comente este artigo e conte-nos quais são os crimes que gosta de cometer, ou as misturas improváveis que costuma fazer!

#1 Pão com queijo, fiambre e manteiga

Ouvimos bem? Pão com queijo, fiambre e manteiga? Ora bem, como sabe nós não temos nada contra nenhum destes alimentos desde que comidos com moderação. Agora, todos juntos?

Em primeiro lugar, devemos privilegiar o pão escuro ou integral ao pão branco. E quanto ao queijo, mesmo quando é magro já tem gordura, para além de uma textura cremosa. E o fiambre, preferencialmente de aves, já dá sabor ao pão. Qual é a necessidade de juntarmos mais gordura, ainda por cima saturada? A nível nutricional é completamente desaconselhado. E será que em termos de sabor faz assim tanta diferença? A vida é feita de escolhas. No que toca ao recheio de um pão, entre queijo e manteiga, opte apenas por um deles. Isto também se aplica a pão com manteiga e açúcar, por exemplo, que só por si dava uma asneira com muito que dizer. Não misture gorduras no pão, por favor.

#2 Açúcar no leite

Principalmente quando é leite simples. Caros leitores, o leite, seja ele de vaca ou bebida vegetal, já é açucarado! Se for consultar os rótulos do leite, pode verificar que ele contém hidratos de carbono, entre eles açúcares. Acha mesmo que é necessário juntar mais ainda? O que está a conseguir com este gesto, é apagar por completo qualquer benefício que este alimento lhe possa oferecer, e transformá-lo numa guloseima com alto teor de glicose. Um copo de leite simples tem aproximadamente 10g de açúcar, o que equivale a 2 pacotes daqueles que colocamos no café! Lembre-se disso da próxima vez que tiver a tentação de adicionar mais umas colheradas. E há ainda aqueles que misturam açúcar no leite com chocolate em pó. A sério? Não vos parece que o leite com chocolate já tem açúcar que chegue?

#3 Massa com pão e outros hidratos

Quem nunca comeu uma bolonhesa e, a acompanhar, aquela fatia de pão para mergulhar no molho no final da refeição, ou mesmo para comer durante? Quem o faz, não tem ideia da asneira que está a cometer. Se escolhe colocar hidratos de carbono no seu prato, eleja apenas um alimento que contenha este nutriente. Não misture! O mesmo se aplica quando vai a maravilhosos buffets onde tem vontade de experimentar de tudo um pouco, e leva para a mesa um prato com arroz, massa, feijão e de lado ainda há espaço para uma batatinha frita a acompanhar um bife grelhado e umas salsichas frescas. Se fossemos contabilizar a quantidade de hidratos e gordura saturada de um destes pratos, caíamos para o lado. O ideal para compor o seu prato é precisamente não misturar vários representantes de grupos de alimentos a cada refeição.

#4 Pica aqui, pica ali

O hábito de andar sempre a picar qualquer coisinha para comer pode fazê-lo pensar que come pouco de cada vez ou que chega às refeições e só come uma sopa e uma fruta, logo devia estar magro. Só que esta mania de beliscar a toda a hora não vai permitir que o seu organismo queime as reservas de gordura que tem acumulada, o que faz com que engorde. A velha máxima de que devemos estar sempre a comer é um mito desfeito, e com a evolução dos estudos nutricionais percebemos hoje que os períodos de jejum ao longo do dia são importantes para equilibrar o funcionamento do organismo, aumentar o metabolismo e gastar mais energia. Seja mais rigoroso nos horários das refeições e ponha de lado os lanchinhos constantes.

#5 Mascar pastilha elástica durante horas

Esta não estava à espera, pois não? Pois é. Mas este é um hábito que está debaixo do olho dos especialistas. Quando se masca pastilha, a boca ativa produção de enzimas que tendencialmente provocam mais fome. Ter uma pastilha na boca e fazer o estômago trabalhar sem lhe dar nada, só vai fazer com que chegue à refeição esfomeado. Se é algo que sinta necessidade de fazer, opte por pastilhas sem açúcar e de preferência não exceda os 30 minutos de mastigação.

#6 Colocar ketchup e maionese nos acompanhamentos

Normalmente fala-se de batatas fritas, mas há quem o faça na massa, no arroz, e até no pão. Utilizar este tipo de condimentos é prejudicial para todos. Não só para quem quer perder peso. Estes molhos contêm farinhas, açúcar, sal, conservantes, gorduras… enfim, nada de bom! Analisando um rótulo de uma embalagem de ketchup que escolhemos aleatoriamente, em cada 100 gramas de produto, 25 gramas são de açúcar. Fora a artificialidade que compõe estes alimentos. Sim, sabemos que é bom e se for em cima de uma batata frita é um deleite à alma. Mas só de vez em quando, ok?

#7 Açúcar em pó no pastel de nata

Sabemos que há pastéis de nata em todo o país, mas esta vai principalmente para os lisboetas porque são os que tradicionalmente fazem mais este disparate. Então, vão a uma casa de pastéis de nata e oferecem-vos um pacotinho de canela e outro de açúcar em pó para fazer uma cobertura em grande do vosso pastel. E vocês, pimba! “Se está aqui é para usar!” Só que não. O pastel de nata já é deliciosamente doce! O açúcar que contém já é mais do que suficiente para nos satisfazer durante dias. Para quê juntar mais açúcar a este doce pecado? Em média, um pastel de nata já tem cerca de 290 calorias e 26 gramas de açúcar. Não adicione mais, pela sua saúde.

Este ralhete aplica-se obviamente a outros bolos de pastelaria, ou mesmo confecionados em casa, em que para dar um aspeto “masterchef” decide polvilhá-los com um manto de açúcar por cima. Não, não e não.

Pensando bem, achamos que esta lista não deve ficar por aqui. Vamos considerar estes 7 disparates apenas a Parte 1 desta película, e deixar-vos curiosos com os próximos capítulos que já estamos aqui a preparar!

E não se esqueçam, se fazem misturas inusitadas ou disparates para nos confidenciar, nós queremos muito saber! Estamos atentos à caixa dos comentários!

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.