Permita-se estar triste, mas não perca a esperança. Um conselho da Ordem dos Psicólogos

Nuno Azinheira

Diretor do Escolher Viver

Ninguém gosta de estar triste, mas a tristeza é uma emoção humana. Não é vergonha senti-la. Por isso, se sente em baixo, não se martirize. Mas não perca a esperança. Este é um dos conselhos que a Ordem dos Psicólogos Portugueses tem para si. Mas há mais…

A saúde mental é cada vez mais um tema. Não sabemos se haverá mais gente a sofrer problemas psicológicos – embora seja bem possível com quase dois anos de pandemia – mas o que sabemos é que, felizmente, o assunto deixou de ser um tabu. O estigma ainda existe, mas, aos poucos, vai sendo menor. E assim continuará se cada um, dentro das suas possibilidades, fizer o que lhe compete: esvaziar do preconceito normalmente associado os temas de saúde mental.

Os tempos de Covid-19 vieram acelerar sentimentos de ansiedade, de receio, de tristeza. Os confinamentos, o distanciamento social e físico, as notícias permanentes sobre infeções e mortes, e a incerteza quanto ao futuro legitimam estas mudanças.

Nada é antinatural. É este o ponto de partida para a ajuda que a Ordem dos Psicólogos Portugueses procurou dar com um documento que formulou com os 16 mandamentos essenciais para aprender a lidar com a tristeza. E que conselhos são esses?

Deixamos aqui a lista, mas recomendamos a sua leitura completa.

1- Permita-se estar triste;

2- Mantenha a esperança;

3- Estruture o seu dia;

4- Mantenha-se ativo;

5- Realize atividades que lhe dêem prazer;

6- Encontre-se virtualmente com familiares e amigos;

7- Expresse os seus afetos;

8- Repense a sua perspetiva da situação;

9- Use o humor;

10- Desconecte-se;

11- Divida os problemas em pequenas partes;

12- Não se subestime;

13- Dê o desconto a si próprio;

14- Escolha alimentos saudáveis;

15- Faça exercício físico;

16- Mantenha uma boa higiene do sono

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.