Pipocas: sim ou não? Sim, se for às vezes. E preferencialmente feitas em casa

Mariana Moniz Almeida

Aluna de Jornalismo da ETIC

Doces, salgadas, há quem até as misture. As pipocas são uma guloseima “fácil” para aqueles momentos em que só queremos descontrair. Porém, como tudo na vida, o que é de mais não traz propriamente benefícios.

Este alimento, por si só, não é muito calórico e pode ser consumido sem grandes preocupações. É rico em fibras, antioxidantes e é benéfico para o nosso sistema imunitário. O que prejudica a nossa saúde é a maneira como o confecionamos e, claro, a frequência com que o comemos. Ao exagerarmos no sal, no açúcar ou até na manteiga, como acontece com as pipocas vendidas no cinema, estamos a contribuir para o aumento das calorias que ingerimos.

Mas vamos às vantagens. Sabia que os nutrientes das pipocas, como o magnésio, a vitamina A e as proteínas, melhoram o sistema digestivo e intestinal? Para além disso, são benéficas para o nosso sistema circulatório, e o mais interessante, são um bom alimento para quem quer perder peso, devido ao seu alto teor de fibras que nos dá a sensação de satisfação! As pipocas não contêm glúten e o seu milho protege a mucosa intestinal. Desta forma, são adequadas para quem é celíaco e ainda para quem sofra de síndrome do intestino irritável, por exemplo.

Estudos indicam ainda que as pipocas são benéficas para a nossa saúde bucal, pois estimulam a produção de bactérias boas, previnem a propagação de microrganismos nocivos e reduzem o risco de inflamações gengivais.

Cuidado com o que lhes junta!

Porém, tal como descrito acima, tudo o que é em demasia pode trazer desvantagens. A verdade é que, sendo a pipoca um alimento tão pequeno, a indigestão ou o desconforto intestinal podem surgir caso não as mastigue como deve ser. Outro aspeto negativo a apontar é a falta de ferro e sais minerais, como o cálcio, que protege os ossos.

Para os diabéticos, as pipocas também podem ser um problema. Claro que tudo depende da quantidade e da frequência com que comer. Por ter um alto valor de hidratos de carbono, as pipocas devem ser feita simples e sem adição de sal, manteiga ou, principalmente, açúcar. Por isso, como facilmente perceberá, o melhor, se lhe quiser fazer uma noite de fim de semana com um bom filme ou série, é fazer as pipocas em casa, com muito pouca gordura adicionada. Fuja dos pacotes de supermercado, que têm muita gordura e muito açúcar, ou mesmo do milho já preparado para microondas.

As pipocas são um alimento divertido! Encontramo-las no cinema, em festas de aniversário, em várias ocasiões especiais. E não são um alimento proibido. Basta ser responsável e não abusar nos seus temperos!

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.