Poupar tempo também é poupar dinheiro. Cinco dicas que ajudam a manter a forma

Ana Araujo

Jornalista

A máxima não é nova, mas isso não quer dizer que não a renovemos e apliquemos à nossa rotina de exercícios. Ou, quando não há tempo, à falta dela. No Dia Mundial da Poupança, que se assinala este domingo, 31 de outubro, deixamos-lhes cinco sugestões para aproveitar aqueles minutos que têm tudo para ser um desperdício.

São pequenas exercícios que pode praticar quando vai no metro, quando está parado no trânsito ou à espera numa daquelas filas intermináveis. O fundamental está assegurado: são todos discretos e, portanto, fáceis de executar sem dar nas vistas.

Nos transportes públicos: E se, em vez de procurar uma cadeira vazia para se sentar assim que entra numa carruagem de metro ou num autocarro, aproveitasse para ficar em pé? É uma forma de treinar o seu equilíbrio e fortalecer os músculos das pernas. Claro que pode – e deve – apoiar-se nas barras disponíveis, mas tente não fazer batota: elas só servem para se agarrar e não cair caso haja mesmo necessidade.

Dentro do carro: Quem nunca passou aqueles minutos – ou horas – que parecem que nunca mais acabam dentro de um carro, no meio do trânsito, que atire a primeira pedra. Ora, em vez que estar recostado no banco, experimente afastar as costas e manter-se assim, apenas com a força dos abdominais. Vale a pena lembrar que o cinto de segurança é para manter!

No escritório: Trabalhar sentado é um dos maiores inimigos da nossa condição física, contribuindo em larga escala para a má postura. Aqui, o que pode – e deve – fazer com regularidade é alongar os músculos. Tente elevar as pernas, mantendo-se esticadas. Depois, dobre o tronco até às pernas e volte à posição inicial. De seguida, rode a cabeça para a esquerda e deixe-se ficar 15 segundos. Repita para a direita. Pode também abrir e fechar as mãos de forma a esticar os dedos e ajudar a descomprimir das horas passadas ao computador. Nas outras alturas, nunca se esqueça de manter as costas direitas.

Na rua: Experimente andar com os músculos abdominais contraídos. Mas nada de esforço em excesso. Os especialistas dizem que, com o passar do tempo, manter a “barriga para dentro” acaba mesmo por se tornar um hábito que ajuda a fortalecer essa zona do corpo.

Nas filas de espera: Nada mais simples do que ativar os músculos dos gémeos elevando os calcanhares e voltando a desce-los. Pode fazer as repetições que quiser – ou que conseguir.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.