Pratica exercício e não consegue emagrecer? Aqui estão 5 erros que pode estar a cometer

Carolina Jesus

Produtora de conteúdos

Pratica exercício físico regularmente, mas não vê resultados? Talvez não o esteja a fazer da forma mais correta e com a frequência necessária. Mas não se preocupe, nós damos ajuda!

Quer seja em casa, no ginásio, ou ao ar livre, a prática de exercício físico não está surtir o efeito que esperava. A motivação já não é a mesma e o reflexo no espelho mantém-se igual. Saiba que nem tudo é um caso perdido e que há diversas razões para o seu corpo não estar a mostrar os resultados desejados. Explicamos-lhe quais são e as suas respetivas soluções!

Pouca regularidade de exercício físico

Não pode esperar resultados, quando os seus exercícios são realizados esporadicamente. E mesmo que já tenha uma rotina definida, esta pode não ser suficiente para queimar as calorias ingeridas.

A recomendação é a prática de, pelo menos, 60 minutos de exercício físico, ao longo de cinco ou mais dias por semana. Isto equivale a 2,5 a 5 horas por semana, o que já é suficiente para queimar as calorias consumidas. Mas não se esqueça que treinar 3 vezes por semana no ginásio pode não ser suficiente para as suas necessidades. Junte-lhe 45 minutos de caminhada diária. Vai ver que começará a ver mais resultados – não só necessariamente na balança.

Pouca alternância e má escolha de exercícios

É importante ter uma rotina de exercícios. Contudo, também é essencial variar nos exercícios e na alimentação, de forma a estimular o organismo. Isso depende da mudança dos tipos de exercício e também na intensidade com que são feitos. Se quer emagrecer, a musculação não é o seu maior amigo, sendo preferível optar pelos exercícios aeróbicos, responsáveis pela queima das calorias.

Quanto à intensidade, não pense na dor como um fator de avaliação. Muitas pessoas têm a ideia de que o exercício físico tem de doer, para haver resultados. Contudo, isso não é bem verdade.

Não deve punir o seu corpo só porque acha que está a emagrecer, mas deve tentar aumentar o esforço a cada treino, para obter melhores resultados. Não só pelo seu objetivo com a perda de peso, mas porque também traz muitos benefícios à sua saúde, como uma maior proteção contra doenças cardíacas e a melhoria do estado físico.

Exercícios mal feitos

Pode sentir que está a fazer um grande esforço, ao realizar certos exercícios, mas tal pode não se vir a refletir no seu corpo. Poderá estar a fazer os movimentos de forma incorreta, havendo diversos fatores, como o impulso, a postura, as cargas e até os alongamentos. Tudo junto pode ser um obstáculo para a obtenção de resultados adequados.

Por isso dizemos-lhe: se tiver hipóteses financeiras, invista num personal trainer. Ninguém melhor do que um profissional do treino para o orientar, definir o plano adequado para si e trabalhar para a sua aplicabilidade. Mas mesmo que não possa investir esse dinheiro, pode sempre pedir ajuda aos treinadores que estão de apoio diário ao ginásios. Eles também estão lá para isso: tirar dúvidas, corrigir posturas, assegurar que não está a cometer erros.

Alimentação e metabolismo

Se acha que ficar muito tempo sem comer contribui para o seu emagrecimento, então está na altura de mudar a sua rotina alimentar. Quando ficamos muito tempo em jejum, o nosso metabolismo torna-se mais lento, gastando menos energia e menos calorias. É como a bateria de um telemóvel: se temos pouca bateria e colocamos em “modo poupança”, ela vai gastar menos, mas também vai ter menos potencialidades ativadas.

De volta à alimentação, não salte refeições e mantenha uma alimentação equilibrada em todas elas, não ingerindo mais calorias do que as que queima. Esta pode ser outra das razões para não obter resultados do exercício físico. É importante haver uma contagem de calorias e tal é conseguido através da dieta CICO (calories in vs calories out), que indica que o número de calorias que é consumido é igual ao que é eliminado na prática de exercício.

Além disto, também há que não esquecer a importância dos nutrientes para o bom funcionamento do nosso organismo. Além de trazerem muitos benefícios para a saúde, também são grandes auxiliares na perda de peso, visto que produzem enzimas responsáveis pela queima de gordura.

Massa magra

Se não se encontrava em excesso de peso, é provável que esteja a ganhar musculação nas zonas gordurosas e é por isso que não vê nenhuma diferença na balança. No entanto, isto não quer dizer que não esteja a emagrecer, mesmo que essa massa magra também pese.

Uma solução muito simples de perceber que o seu corpo está a mudar é deixar de lado a balança e ir buscar a fita métrica, medindo o seu corpo com regularidade.

Recomendações da OMS para a prática de exercício físico

A Organização Mundial de Saúde delimitou o tempo e o tipo de exercício requeridos para cada idade, contribuindo para diversos benefícios à saúde, tais como:

  • Melhorias na saúde cardiovascular (diminuição do risco de doença coronária, acidente cardiovascular e hipertensão);
  • Menor risco de diabetes e obesidade;
  • Melhor condição músculo-esquelético;
  • Diminuição do risco de cancro da mama e cólon;
  • Diminuição do risco de depressão;
  • Diminuição da mortalidade por todas as causas.

Entre 5 e os 17 anos

A regra dos 60 minutos diários mantém-se para esta idade, mas o exercício físico deve ser moderado a intenso, incluindo o aeróbico. No entanto, também devem ser praticadas atividades de alta intensidade e que fortaleçam os músculos e ossos, pelo menos três vezes por semana.

Entre os 18 e os 65 anos ou mais

Para os mais velhos, é recomendado a prática de exercício físico durante duas horas e meia de aeróbica, por semana, sendo intensa a moderada. Também há a opção de combinar a aeróbica com outras atividades moderadas a intensas, sendo que a primeira deve ser feita em períodos de 10 minutos.

De forma a que os resultados sejam ainda melhores, os adultos devem praticar, por semana, mais de cinco horas de exercício de intensidade moderada e duas horas e meia de aeróbica de alta intensidade. Além disto, também devem fazer atividades de reforço muscular, duas ou mais vezes por semana.

No caso dos adultos com 65 ou mais anos, não devem fazer o quantidade de exercício físico que é aconselhada, por haver limitações de saúde e para evitar danos físicos.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.