Psoríase. A doença das escamas e de forte impacto social

Diana Rosa

Jornalista

Já ouviu certamente falar na psoríase. Muitos são os que julgam que esta doença de pele é de nascença, mas pode muito bem não ser. A psoríase pode efetivamente aparecer em tenra idade, como também ao longo da vida. Não há dia nem hora certa para dar conta dos sintomas. No entanto, há duas fases mais prováveis, sendo elas entre os 25 e os 35 anos, e entre os 50 e 65 anos. Ainda de acordo com alguns especialistas, esta doença pode estar associada a outras patologias inflamatórias ou crónicas como diabetes, obesidade e hipertensão.

A psoríase é uma doença crónica, hereditária, e que afeta cerca de 3% da população. Resulta em lesões na pele recorrentes, mas não contagiosas, como placas vermelhas cobertas por escamas brancas, que se localizam em todo o corpo, principalmente nos joelhos, cotovelos, e couro cabeludo. Quem sofre de psoríase também tem tendência a ter alterações nas unhas, como fissuras. Além disso, tem habitualmente um impacto social significativo para quem sofre da doença. As relações pessoais e profissionais ficam muitas vezes comprometidas pelo desconforto e preocupação com a imagem, afetando a autoestima.

Infelizmente, hoje em dia continua a haver estigma relativamente às pessoas que têm todo o tipo de doenças que se vejam a olho nu, como é este caso. Mesmo as relações familiares podem ficar afetadas por esta doença, o que pode provocar depressão grave, isolamento e outros problemas de saúde. Por vezes provoca mesmo comportamentos suicidas. Mas não fica por aqui. Quem sofra de psoríase grave, que não controle com a frequência desejada, pode mesmo estar a perder esperança média de vida, que pode descer até 10 anos.

Esta é uma inflamação na pele que tem uma resposta exagerada do sistema imunitário, e que tende a agravar-se em alturas de maior stress.

Por isso mesmo, vamos desde já deixar aqui as razões que fazem com que, se tiver esta doença, os sintomas se agravem. Mas, por favor, se for o seu caso, antes de mais consulte um médico.

  • Stress – quer seja emocional ou profissional
  • Medicamentos betabloqueadores, como o ibuprofeno, medicamentos para a malária, e o lítio
  • Vestuário apertado, que causa fricção na pele
  • Infeções, nomeadamente respiratórias
  • Queimaduras solares ou tatuagens, que causam lesões na pele, gerando o aparecimento de erupções
  • Álcool e tabaco

Mas qual é o processo de formação destas placas vermelhas?

Este fenómeno está relacionado com a presença de células no sistema imunitário designadas como “linfócitos T”. Quando há o processo de inflamação destas células, a renovação das mesmas acaba por ser muito mais rápida, resultando em partículas mortas que o organismo expulsa para a superfície, neste caso, a pele. Para ter uma ideia, a renovação celular de uma pessoa saudável leva cerca de 28 dias. Já de alguém que sofra de psoríase, demora entre três a quatro dias. O que significa que o acumular de células mortas é muito maior.

E como posso cuidar da psoríase?

Bom, em primeiro lugar, o ideal é mesmo que consulte um médico. Qualquer doença crónica carece de um acompanhamento profissional, regular e permanente. Só assim terá a fórmula certa para cuidar de si, consoante o seu caso, e tentar minorizar os efeitos da psoríase. Existem várias terapêuticas disponíveis no mercado para controlar a doença, como cremes, normalmente esteróides ou à base de vitamina D3, a fototerapia, em que a pele é exposta a uma quantidade adequada de raios UVA e UVB (quantidade esta que ao sol, não consegue ter controlo). Existem também medicamentos imunosupressores, para evitar o sistema imunitário hiperactivo e para que as células tenham um normal período de rejuvenescimento, e alguns tratamentos alternativos que apesar de não terem estudos científicos associados (como águas termais e aquários de peixes que se alimentam das escamas da psoríase) têm tido boa resposta da parte de alguns pacientes.

Uma boa higiene e hidratação são fundamentais para o controlo da psoríase. A vaselina sólida e o aloe vera (ou babosa) são produtos indicados para o efeito.

Siga uma dieta equilibrada. É fundamental para a saúde e para controlar qualquer doença, mesmo de pele. Opte pela dieta mediterrânica, e corte nas gorduras. O exercício físico também é essencial. Pratique atividade diariamente, pelo menos meia hora por dia, para libertar as toxinas e as gorduras, nomeadamente da pele. A meditação também pode ser uma excelente aliada. Uma vez que a psoríase piora em situações de stress, esta prática pode ajudar a afastar a ansiedade, nervos e depressão, de forma a que se sinta melhor por dentro e por fora.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.