De manhã, à tarde ou à noite? Quando é melhor fazer exercício físico?

Vanessa Santos

Fisiologista do Exercício Clinico e Doutorada em Atividade Física e Saúde Investigadora na Faculdade de Motricidade Humana

Há quem prefira exercício logo de manhã, pela fresquinha. Há os que aproveitam a hora de almoço para uma escapadela ao ginásio. E há também aqueles que só exercitam o corpo e a mente no final de um dia de trabalho. O que é melhor?

Não existe melhor ou pior, certo ou errado. O período ideal para treinar é aquele que você define e com o qual se compromete. Porém, há fatores fisiológicos, comportamentais e ambientais que tendem a trazer certas vantagens e desvantagens ao exercício em determinados momentos do dia. Existem muitos fatores a ter em conta para determinar qual o melhor período para treinar, como por exemplo a alimentação, o sono, o descanso, o planeamento do treino, a orientação profissional etc..

Um dos fatores importantes a ter em conta é o nosso ritmo circadiano, conhecido também como relógio biológico, ou seja, é a forma como nosso corpo regula a produção hormonal, a temperatura corporal, o ritmo cardíaco e outras funções essenciais do nosso organismo. Tudo influencia o quão alerta ou não uma pessoa se sentirá em determinados momentos do dia.

A nível fisiológico é de manhã que os níveis de testosterona atingem o seu pico, hormona importante do crescimento e manutenção da massa muscular. Bem como a acuidade mental e memória também são melhores pela manhã, devido ao descanso. E do ponto de vista cientifico há quem comprove que o exercício físico, quando realizado de manhã, irá promover um maior bem-estar ao longo do dia, pela produção das hormonas da felicidade (endorfinas), promovendo mais vigor e bom humor ao longo do dia.

De tarde, do ponto de vista fisiológico, é quando os níveis de adrenalina tendem a aumentar, deixando o corpo mais desperto e resistente à dor.

Já de noite, a nível fisiológico, é quando a coordenação e a temperatura corporal são as ideais. Para além do risco de lesões ser menor, devido a uma temperatura corporal superior, já que o corpo responde mais rapidamente por estar desperto por muitas horas. Já a concentração tende a diminuir e há um aumento na produção de melatonina (hormona responsável pelo sono).

Aliviar o stress

É necessário, contudo, ter em atenção que para algumas pessoas o exercício ao final do dia é um meio para descarregar o stress e relaxar, mas para outras a produção de hormonas como a adrenalina, pode influenciar os padrões de sono retardando a vontade de dormir. Uma boa noite de sono e um descanso adequados são processos essenciais para uma boa performance desportiva e preventiva de lesões.

Então, afinal, qual o melhor período para nos exercitarmos? Pois deverá ser aquele ao qual o seu organismo melhor responder. Experimente os vários períodos do dia, veja a sua resposta ao exercício e como se sente posteriormente. A variável mais importante a ter em conta é a regularidade, é sempre preferível fazer a não fazer. Assim, a minha sugestão é que escolha o período do dia que mais lhe convier segundo o seu dia-a-dia e retire todos os benefícios que o exercício físico tem para lhe dar.

Pode seguir a atividade da Fisiologista do exercício Vanessa Santos no Instagram e no site do seu projeto Reabilita Coração.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.