Quem quer quentes e boas, quentinhas? Sim, com moderação podemos comer

Diana Rosa

Jornalista

Chegou o outono, e com ele as cores e os sabores que nos enchem a alma e aquecem o coração. Pelas bancas dos mercados já se começam a ver os frutos da época, entre tons alaranjados e tons de terra, como é o caso das… castanhas! Há lá coisa melhor do que vestir um casaco mais quente e passear pelas ruas da cidade com o aroma dos assadores de castanhas, e sentir o fumo entranhar-se na paisagem como de nuvens se tratasse? Claro que não!

Diz-se que à dúzia é mais barato, mas hoje vamos tentar decifrar afinal quantas devemos comer (de cada vez) e não só. Analisamos também os benefícios deste fruto tão tradicional do nosso São Martinho, e que hoje em dia se pode comer assado, cozido, na carne, em patê, ou mesmo em gelados!

Vamos lá a factos. A castanha é um alimento milenar e um verdadeiro tesouro nutricional, que veio de terras da Ásia Ocidental para se espalhar por toda a Europa, tornando-se assim um dos frutos mais antigos alguma vez consumidos.

É uma excelente opção para substituir o arroz, massa e batatas que costumamos acompanhar com a carne ou o peixe, e saciar muito, muito mais! Em 10 castanhas assadas, estamos a consumir apenas 2 gramas de gordura, mas tem praticamente 1/5 das fibras que devemos consumir ao longo do dia, e sem glúten! Este fruto tem ainda componentes probióticos como Bifidobacterium e Lactobacillus, essenciais para o bom funcionamento digestivo. Graças à presença de vitamina C, a castanha torna-se um fruto da época de grande relevância para incluir na sua alimentação durante o inverno.

100 gramas de castanhas equivalem a 220 calorias, 45,5 gramas de hidratos de carbono e 1,3 de gordura.

Benefícios da castanha:

  • Permitem o desenvolvimento da flora intestinal – graças aos hidratos de carbono que possuem amilopectinas, amiloses e polissacarídeos
  • Previnem inflamações e cancro do intestino – devido à quantidade elevada de fibras e presença de substâncias probióticas
  • Aumentam a energia e saciam – sendo uma boa opção para quem sofre de doença celíaca, uma vez que são isentas de glúten
  • São antioxidantes – pela presença de fitoquímicos e diferentes compostos fenólicos
  • Previnem doenças cardíacas – graças à vitamina B6 e ao ácido fólico
  • Ajuda a fortalecer os músculos – pois é muito rico em cálcio, potássio, ferro e magnésio, nutrientes importantes para quem faz desporto

Desvantagens

Como é de conhecimento comum, as castanhas assadas ou cruas podem causar flatulência. Para evitar essa situação, experimente cozê-las juntamente com erva doce. Relativamente aos diabéticos, a castanha deve ser comida com moderação. Se é o seu caso, aconselhe-se com o seu médico acerca das quantidades mais indicadas para o seu caso.

Nesta estação do ano que agora se iniciou, inclua estas beldades à sua mesa, através de cozidos, assados ou grelhados, pois é um dos frutos mais versáteis que podemos colocar no nosso prato.

Se estiver a fazer um plano alimentar mais rigoroso, já sabe, guarde o São Martinho para ser o dia da asneira, e ao comer um cartuxo de castanhas vá buscar um copo água-pé e delicie-se.

Mas só um, ok?

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.