Quer atrasar o envelhecimento? Estes três tipos de exercícios não fazem milagres. Mas ajudam…

Diana Rosa

Jornalista

Enquanto o elixir da juventude não for descoberto, não há muitas alternativas: comer de forma mais saudável e praticar exercício físico são as duas fórmulas para manter a jovialidade e saúde. No que toca ao exercício, há três tipos de opções. Ora espreite…

Todos nós adoraríamos encontrar uma fórmula mágica para não termos de envelhecer. E essa é uma procura que tem sido feita intensivamente, até mesmo pela ciência. Mas a poção infalível tarda em aparecer e sabemos que, no final de contas, uma das melhores formas de conseguirmos um envelhecimento mais tardio, é mesmo adotar um estilo de vida saudável. Sabemos que já está farto de ouvir isto, mas coma bem, faça exercício físico, tenha boas noites de sono. Fazer estas 3 coisas básicas pode não mantê-lo com ar de 25 anos para toda a vida, mas vai retardar os efeitos interiores e exteriores do envelhecimento.

Segundo um estudo publicado na revista científica Gut, fazer uma dieta mediterrânica que seja rica em ómega-3 (peixes), fruta e vegetais, promove um envelhecimento ideal e uma saúde física e cerebral em boa forma até muito tarde. Já o estudo da Obesity Reviews indica-nos que a obesidade é um fator decisivo para contribuir para o aceleramento dos sinais da idade.

Podemos dizer que não existe um botão em que rapidamente nos garanta o prolongamento da juventude. Mas nunca é tarde para começar a suar a camisola, e fazer estes exercícios que o/a vão ajudar a manter-se em forma e com um aspeto jovem por muito mais tempo.

HIIT

Que é como quem diz treino intervalado de alta intensidade. Este tipo de treino ganhou bastante popularidade nos últimos anos, por ser caracterizado por séries curtas de exercícios repetidas com menos intervalo de descanso, que por serem muito intensas ajudam a queimar gorduras com mais facilidade. Estudos americanos indicam que este exercício pode reverter significativamente o processo de envelhecimento celular e muscular em pessoas mais velhas. Este treino ajuda ainda a que as células absorvam melhor a proteína, conferindo mais energia corporal e travando o processo de envelhecimento celular.

Este exercício tem vários benefícios associados, como a melhoria da capacidade cardiorrespiratória, o aumento do metabolismo, regulação da pressão arterial, aumento da captação de oxigénio, diminuição da percentagem de gordura corporal e aumento da condição física.

Exercícios Aeróbicos

Como por exemplo corrida ou caminhada, saltar à corda, subir escadas ou andar de bicicleta, estima-se que este tipo de exercícios favoreçam a saúde do cérebro e retardem aqueles esquecimentos que com a idade tendem a acontecer. Estima-se que passado apenas 6 meses de praticar estas atividades com regularidade, o processo de envelhecimento cerebral seja amplamente retardado.

Entre os benefícios dos exercícios aeróbicos estão o fortalecimento do músculo cardíaco, aumento da resistência muscular, fortalecimento dos ossos, aumento da resistência cardiorrespiratória e diminuição da pressão arterial.

Dança

Quem pensa que o exercício tem de ser solitário ou aborrecido, desengane-se. Também se pode divertir enquanto cuida da sua boa forma. A dança pode ser muito eficaz na falta de equilíbrio e no declínio cognitivo, desacelerando estes processos enquanto baila ao som das suas músicas preferidas. Esta atividade é uma ótima ferramenta para criar novos desafios ao corpo e à mente, principalmente para os mais velhos.

Este exercício estimula a memória, ajuda na perda de peso e melhora o equilíbrio, reduz o stress, evita a depressão e promove uma melhor postura e flexibilidade. Tudo boas razões para não escapar a um pezinho de dança.

Fortaleça o seu sistema imunitário

Existem muitas razões para procurar ter um sistema imunitário mais forte e mais jovem. Felizmente, a ciência indica-nos que pegar na sua bicicleta e ir dar um passeio pode ajudar a promover exatamente o que deseja.

De acordo com um estudo publicado na revista académica inglesa Aging Cell, foram comparados ciclistas regulares entre os 55 e os 79 anos com um grupo de indivíduos da mesma idade, mas com um estilo de vida sedentário. Como seria de prever, os ciclistas encontravam-se em melhor forma de uma maneira geral, assim como o seu sistema imunitário demonstrou estar num estado muito mais jovem do que seria de esperar.

Mas se não gosta de bicicleta, não desespere. Escolha outra atividade como correr, caminhar, nadar, o que importa é que encontre um exercício que lhe dê prazer e que o siga com regularidade e de forma consistente. Acredite que desta forma, vai obter mais tarde a recompensa de ter uma velhice independente e produtiva.  

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.