Quer treinar, mas não tem força de vontade?

Luís Gonçalo Martins

Personal Trainer. Portador do Título Profissional n.º 27886, emitido pelo IPDJ

No decorrer da minha profissão, sou confrontado com vários desabafos e problemáticas. Uma delas é a eterna questão da motivação. Muitos são os alunos que me confessam que gostariam de ser mais ativos, mas não têm “força de vontade” para iniciar um processo de treino.

Provavelmente, a maioria deles não tem conhecimento de que a força de vontade não é a “porção” mínima de energia que necessitam para iniciar o processo de treino, mas antes uma razão para não o fazer. Não me interpretem mal: ninguém aqui está a acusar ninguém de nada. É um processo natural de preservação da integridade física.

Infelizmente, treinar provoca dor e não existe forma indolor de o fazer. Mas apenas o treino pode fazer a manutenção dos nossos tecidos musculares e consequente diminuição da gordura visceral e dos tecidos adiposos.

Da minha experiência, se continuarmos a aguardar a força de vontade para iniciar um processo de treino, poderemos estar 3, 4 ou 5 anos à espera. Falo da minha própria experiência, que aguardei 2 anos a pagar um ginásio premium, sem ir lá, a espera da força de vontade. E olhem que eu sei bem do que falo. Já sofri de obesidade mórbida e sei como foi difícil fazer o caminho que fiz. A propósito, podem ouvir a minha história em podcast, na conversa que tive com o Nuno Azinheira.

O meu conselho para todos aqueles que gostariam de ser mais ativos, e não têm força de vontade para iniciar, é darem o primeiro passo de imediato sem pensar muito no assunto, pois a ideia está presente na nossa mente, porém, pensar sobre o assunto significa arranjar contratempos, como, “ainda não é segunda-feira”, “hoje não me dá jeito” ou “hoje tenho marcação das unhas, não dá”. A verdade é que se alimentarem estas técnicas vão estar sempre a boicotar-se. É que, sejamos sinceros, nunca vai dar jeito, e como consequência, nunca vamos sair deste estado de “eu seria mais feliz se…”

Se estão a ler este artigo, levantem-se agora e façam 20 agachamentos (se não conseguirem, levantem-se e sentem-se 20 vezes). Tomem isto como o vosso primeiro treino, amanhã já será o segundo treino, e sem se aperceberem, já começaram e não necessitaram de “força de vontade”. Não esperem que as circunstâncias ideais cheguem. Iniciem primeiro, a força de vontade vem depois. Afinal, a nossa saúde depende diretamente da quantidade de exercício que fazemos.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.