Sabe o que está a comer quando entra na pastelaria? Cinco bolos, cinco surpresas

Nuno Azinheira

Diretor do Escolher Viver

Pastel de Nata, Queque, Bola de Berlim (com creme, claro…), Mil Folhas, Palmier coberto e Jesuíta. Não é fácil escolher os bolos de pastelaria mais apreciados pelos portugueses, mas estes seis figuram seguramente na lista. Tem ideia do que está a ingerir quando a meio da tarde vai tomar a “bica” e comer “um bolinho”?

Vamos lá ser claros: se comer um bolo de 15 em 15 dias não vem mal ao mundo. O problema é se o gesto se repete quase diariamente. “Vou ali beber a bica”. Quantas vezes já o disse ao colega de trabalho? E depois, quando se depara com a montra de bolos, o diabinho que há em si começa a manifestar-se. “E é um queque”, por favor, pede ao empregado. Sempre é melhor e não tem creme, pensa para si. Será? Será que o queque é mesmo o mais inofensivo dos bolos?

Pensámos numa lista de seis bolos que os portugueses adoram. Faltam aqui os caracóis, os croissants com chocolate ou doce de ovos, as delícias folhadas e as tranças, por exemplo. Mas, enfim, não podemos juntar todos. Apresentem-se então o pastel de nata, o queque, a bola de Berlim, o mil folhas, o palmier coberto e o jesuíta. Para lhe apresentar estas contas certinhas, recorremos ao Fatsecret Portugal, um site em permanente desenvolvimento, que contém uma impressionante base de dados de alimentos e as correspondentes fichas nutricionais.

Pastel de Nata

É talvez o rei dos bolos de pastelaria e, convenhamos, podem ser maravilhosos se quentinhos, mas podem também não ter graça nenhuma. O que não tem graça é a informação que temos para si. Um pastel de nata tem 297 calorias e 9,8 gramas de gordura (5,4 gramas dos quais saturada). Para diabéticos, fica aqui a informação assustadora: um pastel, um mísero pastelinho, soma-lhe 45 gramas de hidratos de carbono, entre os quais 26,6 gramas são de açúcar. Sem contar com o açúcar polvilhado e a canela por cima…

Queque

Sim, não tem creme, não tem massa folhada, mas o bom e velho queque é tudo menos inocente. Aliás, são vários os duelos clássicos que são conhecidos do tipo “Pastel de Nata verus Queque: o duelo final”. Pois, o queque perde sempre. Mesmo que lhe coma as “maminhas” primeiro e que deixe a cabeça para o fim, ou que devore ao contrário, o que é certo é que um queque fornece-lhe 345 calorias, 12,8 gramas de gordura e 49,4 gramas de hidratos – 8,29 gramas são de açúcar.

Bola de Berlim

Com creme ou sem creme? Eis a pergunta sacramental sempre que pedimos uma bola de Berlim. É um clássico. E há agora para todos os gostos: de chocolate, leite condensado, alfarroba, nutela, menta e até, pasme-se, de alho francês (não, estamos a brincar…). Todas têm algo em comum: quilos de açúcar. Uma bola, uma simples bola, significa a ingestão de 23 gramas de açúcar (são 68,9 gramas de hidratos). No total fornece 420 calorias. Coisa pouca, está-se mesmo a ver.

Mil Folhas

Uma folha de prazer, duas folhas de prazer, três folhas de prazer… mil folhas de prazer. E as calorias a contar, claro. Há piores, admitamos, mas não corra para a pastelaria para encomendar já uma caixa de dez. Cada bolo destes (com a cobertura clássica de açúcar e chocolate, porque há umas modernices com ovo…) fornece 302 calorias e é feito com 17,9 gramas de gordura (5,5 saturadas), e 29,4 gramas de hidratos de carbono, dos quais 10,26 são açúcar.

Palmier coberto

O simples é o que faz menos mal, o recheado é um pecado. Optámos pelo meio-termo, o coberto, que, ainda assim, é um festim de calorias. É o rei dos bolos de pastelaria (pelo menos nesta lista que formulámos): 611 kcal, 30 gramas de gordura e 78,8 gramas de hidratos de carbono. Sim, leu bem: 78,8 gramas de hidratos de carbono. Se é diabético, bastou ler esta informação para a sua glicemia disparar. É que só de açúcar, o pobre do palmier coberto é bem rico: 42,7 gramas de açúcar. Ora, se pensarmos que um pacotinho de açúcar tem seis gramas (alguns já cumprem a lei de 2020 e têm 4 gramas…), este adorável bolinho representa mais do que sete pacotes de açúcar todos juntos. Que overdose!

Jesuíta

É como o Mil-folhas. O Jesuíta clássico tem aquela cobertura de açúcar dura, que apetece partir com os dentes – uma espécie de suspiro (para quem gosta, claro). A versão mais temperada é que a que tem amêndoas e açúcar polvilhado. Não se iluda. Aquele triângulo de pecado é muito pouco católico no que toca à informação nutricional. Um só bolo fornece 518 calorias, apresenta 31 gramas de gordura e 54,1 gramas de hidratos de carbono, entre os quais 19,5 gramas de açúcar.
Como vê, para onde se virar está rodeado de inimigos. Então se a um deles juntar um leite achocolatado ou uma cola, por exemplo, então está a duplicar o disparate. A escolha é sempre sua, claro.

NOTA IMPORTANTE: Os amantes de salgados que não se fiquem a rir. Em breve faremos idêntica análise a um sexteto de luxo: rissol de camarão, croquete, pastel de bacalhau, folhado de carne, folhado de salsicha e merenda mista. Nós cá somos muito democráticos.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.