Se tem excesso de peso, veja por que razão o exercício é essencial!

Vanessa Santos

Fisiologista do Exercício Clinico e Doutorada em Atividade Física e Saúde Investigadora na Faculdade de Motricidade Humana

Portugal é dos países da União Europeia com o nível de prevalência de obesidade mais elevada. E, portanto, é muito natural que este flagelo, em menor ou maior dimensão, também lhe toque a si. O exercício físico é essencial. A fisiologista do exercício Vanessa Santos, autora do projeto Reabilita Coração, explica porquê.

Mais de metade dos portugueses está acima do peso considerado normal e cerca de um milhão de pessoas são obesas (dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico – OCDE). Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma em cada três crianças em idade escolar no continente sofre de obesidade ou excesso de peso. E de acordo com a agência, a pandemia continua a ter grandes impactos nas pessoas, dentre eles, o contínuo aumento dos casos de obesidade.  A obesidade é assim considerada um problema de saúde pública devido a sua alta incidência na população em geral.

Cada vez mais estudo científicos têm demonstrado a importância que o exercício físico e a atividade física têm no combate ao excesso de peso e obesidade para o equilíbrio e balanço energético, mas também na redução dos riscos de doenças associadas à obesidade.

O gasto energético diário pode ocorrer por três formas: pela taxa metabólica basal (TMB), pelo efeito térmico dos alimentos (ETA) e pelo o efeito térmico da atividade física (ETAF). A TMB constitui de 60 a 75% do gasto energético diário e está associada à manutenção da maioria das funções corporais. O ETA é o aumento cumulativo no gasto energético após as refeições (digestão) e constitui aproximadamente 10% do gasto energético diário. E o ETAF é o componente com maior variação no gasto energético diário e pode constituir de 15 a 30%, e inclui o gasto energético relativo ao trabalho físico, à atividade muscular e ao exercício físico.

Queimar a obesidade

Dessa forma, o exercício físico deve ser visto como uma forma de tratamento do excesso de peso e obesidade, que eleva o gasto energético e minimiza os efeitos negativos da restrição energética, gerando um efeito positivo sobre a redução do tecido adiposo. Mas a energia gasta durante a atividade física e exercício, varia de acordo com as características do exercício: depende da frequência, intensidade e duração. Para que ocorra uma perda de peso a energia gasta deve ser sempre superior à energia consumida, de forma a criar aqui um deficit energético.

De acordo com o ACSM (2021) exercícios de natureza aeróbia, com uma intensidade moderada a vigorosa, são os que irão promover mais ganhos a nível de perda de peso. Mas também exercícios de resistência muscular devem ser tidos em conta. Cada caso é um caso e deve ser sempre prescrito treino de forma individualizada e a par com um plano nutricional adaptado e ajustado ao treino, de forma a que os ganhos sejam mais rápidos e duradouros.

O exercício físico é importante na gestão e perda de peso, mas também no controlo de fatores de risco que estão associados ao excesso de peso e obesidade, reduzindo assim o risco de desenvolver doenças cardiovasculares, diabetes, entre outras.

Se tem excesso de peso ou obesidade, procure um especialista e crie uma rotina de treino ajustada a si e ao seu organismo para a sua perda de peso seja eficaz e eficiente.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.