STOP ao sedentarismo! O que recomenda a Organização Mundial de Saúde

Vanessa Santos

Fisiologista do Exercício Clinico e Doutorada em Atividade Física e Saúde Investigadora na Faculdade de Motricidade Humana

O sedentarismo é também uma pandemia dos tempos modernos. Segundo o Relatório Anual do Programa Nacional para a Promoção da Atividade Física, da Direção Geral da Saúde, apenas 5% dos portugueses faz exercício regularmente. O nosso país continua a ter um dos índices de atividade física mais baixos da Europa.

O sedentarismo é um dos fatores que mais contribui para a morte prematura, aparecimento de doenças cardiovasculares, obesidade, hipertensão, doenças de foro oncológico ou até mesmo na depressão.

Assim, importa perceber quais são as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) para atividade física e comportamento sedentário. Para crianças e adolescentes, está recomendado pelo menos 60 minutos por dia de atividade física de intensidade moderada a vigorosa, maioritariamente aeróbia. Mas também 3 dias por semana de atividade de fortalecimento muscular e ósseo.

Para adultos entre os 18 e os 64 anos, está recomendado pelo menos 150 a 300 minutos de atividade física aeróbia de intensidade moderada, ou 75 a 150 minutos de intensidade vigorosa, por semana. Devendo complementar com 2 dias por semana no mínimo de atividades de fortalecimento muscular de intensidade moderada a vigorosa, envolvendo principalmente os grandes grupos musculares.

Para os idosos, com 65 ou mais anos, está recomendado pelo menos 150 a 300 minutos de atividade física aeróbia de intensidade moderada ou 75 a 150 minutos de intensidade vigorosa, semanalmente. Complementada, com pelo menos 2 dias de atividades de fortalecimento muscular de intensidade moderada. E também pelo menos 3 dias de atividade multimodais, que promovam o equilíbrio e a funcionalidade.

Mas a adoção destas recomendações por vezes pode levantar questões. Como controlar? Como garantir que estou a cumprir o que é recomendado? Hoje em dia as novas tecnologias vieram ajudar nesta monitorização. Existem cada vez mais aplicações para smartphones que fazem o controlo e o acompanhamento diário das suas atividades, que lhe permitem gerir os níveis de atividade que está a realizar. Bem como os smartwatches e monitores de atividade física, que o ajudam a controlar as intensidades, tempos, entre outras variáveis.

A OMS também refere nestas recomendações que qualquer atividade física é melhor que nenhuma. Assim permita-se analisar os seus níveis de atividade física e repensar os seus comportamentos sedentários, de forma a promover e a melhorar a sua saúde!

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.