Tags : saúde mental

Como explicar às crianças o que se vive na Ucrânia?

As crianças têm uma forma pura e genuína de lidar com a emoção, entregando-se a ela com reação clara e enfatizando-a, muitas vezes, nas suas brincadeiras e na sua linguagem não verbal. Neste tempo de guerra que vivemos, é importante estarmos preparados para as perguntas inopinadas das crianças. Ou estarmos atentos às suas reações repentinas.Ver mais

ANSIEDADE E TRISTEZA

Os estados de depressão são cada vez mais frequentes. E, também, cada vez mais cedo. Os últimos dois anos de pandemia vieram generalizar a importância da saúde mental e da sua discussão. No Escolher Viver falamos há muito desta questão. Nesta sessão da rubrica semanal Eu e os Outros, Joana Pinheiro, psicóloga clínica no Hospital Cruz Vermelha, identifica o problema.Ver mais

A Guerra entra-nos em casa todos os dias. De que forma ela mexe connosco?

Depois de dois anos de pandemia, com os óbvios impactos que tiveram nas nossas vidas, voltou a guerra. A invasão da Ucrânia por parte da Rússia, e a amplificação informativa dos últimos dias, tem vindo a gerar ansiedades, medo ou impotência em todo o mundo. Razão para enquadrarmos este assunto na temática, cada vez mais relevante, da saúde mental.Ver mais

EM BUSCA DO AMOR

Na véspera do Dia dos Namorados, a psicóloga Joana Pinheiro volta a falar do amor e do esforço que cada um de nós faz para encontrar o amor perfeito. Será que ele existe? Será que valorizamos de mais o Dia dos Namorados? Será que vale a pena darmos tudo por uma relação? Veja o episódio desta semana de Eu e os Outros, a rubrica de saúde mental do Escolher Viver.Ver mais

Quando um filho morre, os pais nunca deixam de o ser

É a dor que ninguém quer viver. A dor das dores, porque contranatura e traumática. Raramente estamos preparados para a morte. Mas nunca mesmo quando se trata da morte de um filho. O sentimento de falhanço, a sensação de perda de expectativas e a culpabilização são reações habituais a seguir uma tragédia destas.Ver mais

ONDE ESTÁ O AMOR?

A quinze dias do Dia dos Namorados, já há corações, ursinhos e canecas espalhados por todas as montras. Todos os anos é assim. O Dia de S. Valentim é uma excelente oportunidade comercial. E quem não tem namorado ou namorada? Quem está solteiro? De que forma é que a ausência de um amor pode afetar a nossa cabeça? É este o tema da edição desta semana de NÓS E OS OUTROS, a rubrica de saúde mental do Escolher Viver.Ver mais