Vá passear o cão! Veja só os pretextos que lhe arranjamos para o fazer sair de casa…

Ana Araujo

Jornalista

De Monsanto ao Campo Grande, em Lisboa. Do Parque da Cidade à Avenida da Boavista, no Porto. O local não interessa. O que queremos mesmo é que saia de casa e que se mexa. Levante-se do sofá, faça uma pausa na inércia, vista-se de forma confortável, pegue na trela e ala que se faz tarde. Toca a fazer uma caminhada com o seu fiel amigo…

Sim, já sabemos que há sempre aquele jardim ao pé de casa, mesmo aí à mão de semear, que serve perfeitamente para eles fazerem as necessidades. Mas não é disso que trata esta nossa sugestão. Ou não é só disso. Quem tem um amigo de quatro patas e passa o dia numa correria sabe bem que, por vezes – muitas vezes, aliás -, sobra pouco tempo para os passear e ainda encontrar forças para dar um pulo até ao ginásio e fazer aquele exercício que, mais do que tratar do físico, cuida do espírito. Então, porque não juntar o útil ao agradável e levar o seu animal de companhia num passeio mais longo ou numa corrida a dois? O seu corpo agradece e o bicho também.

As nossas propostas são válidas para qualquer época do ano e não vale desculpar-se com o vento e a chuva que estão para chegar. O que interessa é pegar na trela, vestir-se à medida das condições meteorológicas e meter os pés a caminho.

Em Lisboa, há muito por onde escolher. O Jardim do Campo Grande, por exemplo, é um dos mais requisitados. Os seus 1,200 km em linha reta, entre palmeiras, pinheiros e eucaliptos, permitem relaxar e esticar as pernas. A correr ou a andar, fique com a certeza de que se vai cruzar com outros tantos que usam este oásis numa das artérias mais movimentadas de Lisboa para praticar exercício. Tem parque canino para os poder soltar.

Logo ali ao lado tem a Mata de Alvalade, como é conhecido o Parque José Gomes Ferreira. Com 11 hectares distribuídos entre oliveiras e alfarrobeiras, não lhe falta espaço para meter as pernas a mexer.

Onde também não falta espaço é no Parque Bensaúde, que se estende ao longo de 3,5 hectares. Com uma entrada quase escondida na Estrada da Luz, pertencia a uma antiga quinta do século XVII e é aí que encontra uma alameda de plátanos e o maior e mais antigo sobreiro identificado na capital. Quer melhor desculpa?

Bem mais pequeno, mas igualmente simpático, é o Jardim Fernando Pessa, perto da Avenida de Roma. Além das corridas, pode ainda usufruir dos equipamentos de ginásio ao ar livre. E o seu cão, acredite, vai deliciar-se com o parque canino, também ele com vários equipamentos.

E se já ouviu falar do Parque da Bela Vista por causa do Rock in Rio, fique desde já a saber que esta zona – a segunda maior “mancha verde” de Lisboa – tem 85 hectares de zonas arborizadas e de relvado, recortadas por uma rede de caminhos ideal para dar umas belas passadas. Aproveite e, quando chegar às zonas mais altas, aprecie a ampla vista sobre a cidade e o rio Tejo. E é à beira deste rio que pode usufruir do Parque Tejo, aberto à prática de várias atividades desportivas.

Na fronteira da capital, sugerimos um pulo até Monsanto. Com uma área de 1000 hectares, o chamado “pulmão de Lisboa” tem espaços para todos os gostos, seja a incontornável Alameda Keil do Amaral, o Parque do Calhau e a Mata de Benfica.

Nos arredores de Lisboa, há muito por onde escolher, mas o paredão Oeiras/Paço de Arcos ou Estoril/Cascais é uma das opções mais em voga. Entre uma corrida e uma caminhada, uma coisa é certa: o seu cão vai conviver com outros, pois este é um dos locais onde cada vez mais pessoas fazem exercício ao lado dos respetivos companheiros.

Já a Norte, há a Marginal de Matosinhos, onde a brisa do Atlântico promete ajudar a refrescar, a Avenida da Boavista, cujos cinco quilómetros de extensão contemplam etapas mais fáceis e mais difíceis – e é você que escolhe -, o Parque da Cidade do Porto, perfeito para fortalecer as pernas com as suas subidas, ou a Quinta do Covelo, também no Porto, apetrechada de vários trilhos.

Uma dica: seja qual for o seu local de eleição para se exercitar ao ar livre – e exercitar o seu animal -, nunca se esqueça que tanto você como ele precisam de água. E, vá, para o seu melhor amigo, leve lá uns daqueles biscoitos que lhe dão motivação extra.

Outras histórias que vai querer ler

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.